segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Canção Morna's Farm

Seguuuuuuuuuuuura peãããããããããão!!!!!!!!!
Chiricantalaricantalá!!!
A Canção Morna, que além de celeiro (e fazenda) de heresias é uma filial do protestantismo dentro da Igreja Católica – basta olhar os programas do R. R. Soares ou do Valdemiro Santiago para se notar a semelhança –, está organizando o inoxidável, o inigualável e o inimputável III Canção Nova Sertaneja.
Será preciso dizer o que tem nisso?
Tem locutor de rodeio, cateretê (não é caratê, é CATERETÊ), catira, roda de viola e o pior, desfile de peões solenemente montados nos cavalos em plena missa.
Só me pergunto como é que alguém consegue comungar sentindo aquele cheiro forte de estrume de cavalo, já que os animais, enquanto circulavam pelo recinto durante a missa, faziam o nº 2 no meio do povo, deixando um rastro de b#$+@ sem nenhuma preocupação.
Não sei nem como aqueles padres de lá, tão metidos a cowboys, ainda não quiseram cantar “É o Amor”, “Fio de Cabelo” ou “Entre Tapas e Beijos”.

2 comentários:

Theophilus disse...

Bento XVI deve temer um grande cisma aconteceria se tomasse decisões mais drásticas contra esses hereges; mas o cisma já está aí, bem diante dos nossos olhos, dia a dia acontecendo nas igrejas de todo o país, de todo mundo. Não adianta querer evitar o que já aconteceu. Não haverá catarse nem mea-culpas desses que envenenaram a Igreja, mas sim uma correção de rumo tomada por uma nova geração, antes da vinda do Anticristo, ao modo daquele sonho profético de Dom Bosco, dos navios atacando a nau da Igreja.

Evandro Monteiro disse...

O pior é que vivemos num grande e silencioso cisma, ou os padres continuam usando o "por todos" porque ainda não sabem que devem usar o "por muitos" na hora da consagração?