segunda-feira, 14 de março de 2011

"Besteirol" papal

É duro, mas o que dizer sobre a última de Bento XVI?
“A Igreja não deve buscar a conversão dos
judeus?”
Desculpa, mas depois dessa, seja lá qual for o contexto em que ele disse, Sua Santidade errou.
Errou, errou e errou sim! Não sou sedevacantista, mas para um pontífice que começou um papado com muitos católicos esperançosos de que ele ao menos não repetiria as loucuras ecumaníacas de João Paulo II, isso aí foi (mais um) balde de água fria.
Sem querer “ensinar o Pai-Nosso ao vigário” (literalmente), mas Ratzinger perdeu uma ótima oportunidade de ficar calado. A notícia (original em inglês) foi-me enviada pelo Theophilus do blogue Spem in Alium.
Depois ainda tem imbecil que diz que Ratzinger é nazista!Então um famoso judeu que se converteu – e foi ordenado sacerdote – perdeu muito do seu precioso tempo, pois não deixou ninguém tomando conta do lojinha...

3 comentários:

Ana Maria Nunes disse...

só faltou dizer que quem crucificou Jesus foi os lefebvristas kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

vinnnie disse...

Sugestão: tenhamos o livro na mão antes de confiar em notícias de blogs e agências de notícias. Pelo que soube, o papa apenas cita Hildegard Brem. Há todo um raciocínio por trás das palavras do papa. O próprio são Bernardo diz: "Esto, de Judaeis excusat te tempus: habent terminum suum qui praeveniri [al., praeteriri] non poterit."

MANUEL FIGUEIREDO disse...

Salvé Maria!!
Bem, eu critico o Papa mas não sou tão duro, (eheheheheheheh), mas não são só essas asneiradas que ele disse, há muitas mais.
Viva Cristo Rei!