terça-feira, 7 de junho de 2011

"Provocação atrás de provocação" ou "Bicharada gueyzista sem limite"

O que esperar de quem quer ser mais "igual" do que os outros? Só o desrespeito!
Em notícia divulgada pelo jornal O Povo, de Fortaleza, a próxima marcha do orgulho FSVPBBBI (Frescos, Sapatões, Viadinhos, Pederastas, Bichas, Boyolas, Baytolas e Indecisos) usará uma citação de Cristo: "Amai-vos uns aos outros: basta de homofobia!"
O que mais irrita nisso tudo é que por qualquer besteira essa rapaziada alegre já quer soltar purpurina e matar todos que não compactuem com suas aberrações, desrespeitando e atacando sem dó aqueles que não aceitam o gueyzismo.
E o que esperar de uma denominação fundada pela cegueira da paixão de um monarca estúpido (Henrique VIII da Inglaterra) ou de um fanfarrão como Lutero?
"Reverendos e seguidores da Igreja Anglicana do Brasil, além de fiéis de outras religiões, vão participar da passeata ao lado de gays, lésbicas, bissexuais, transgêneros e simpatizantes. O grupo deverá ter um trio elétrico próprio. 'Duzentas pessoas, entre protestantes, anglicanos, metodistas e luteranos, devem estar no carro', disse Beltrame, seguidor da Igreja Anglicana. Budistas e hinduístas também foram convidados."
Já é difícil o povo dito cristão se mexer, aí quem deveria combater essa infâmia é o primeiro a aplaudi-la?

---------------------------------------------------

Fonte: http://www.opovo.com.br/app/maisnoticias/brasil/2011/06/07/noticiabrasil,2253747/tema-da-parada-do-orgulho-lgbt-causa-polemica.shtml

2 comentários:

Theophilus disse...

E certamente O Povo está apoiando, porque jornal tão esquerdista como aquele há poucos no Brasil.
Chegou a ver a página inteira que os comunas pagaram defendendo aquele crápula vermelho, o Battisti? Dias antes havia aparecido matéria paga no mesmo sentido, só que menor. De vomitar.
O único contrapeso que permitem ali é o Themistocles, mas creio que mais para mostrar como são "democráticos" e "tolerantes". O que não faz diferença, pois é um no meio de mil.

Evandro Monteiro disse...

Como não acesso muito o jornal "O Povo", nunca me liguei que ele fosse esquerdista.