quinta-feira, 22 de março de 2012

E se fosse o papa?

No blogue "De olho na Jihad" foi relatado que uma importante autoridade religiosa da Arábia Maldita, digo, Saudita, defendeu a idéia de que TODAS AS IGREJAS DEVEM SER DESTRUÍDAS.
Quanto a essa declaração infeliz daquele infeliz seguidor do infeliz pedófilo carniceiro de Meca, ninguém da grande imprensa mundial deu um pio sequer.
Quando aquele pastor maluco da Flórida fez a grande queima de estoque de Alcorão, aí a grande mídia se levantou contra a intolerância, o desrespeito ao multiculturalismo e à liberdade religiosa.
Agora eu pergunto: e se, hipoteticamente, o papa Bento XVI (ou algum sucessor) pregasse que nos países católicos todas as mesquitas têm de ser destruídas?
Essa imprensinha de m(...) cairia em cima, desceria a lenha na Igreja, o papa seria chamado de "genocida e nazista" (como já foi chamado por um "nobre" deputado da causa guey), a TV Recópia exibiria alguma reportagem sobre os padres tarados, etc..
Essa pressão toda fez o próprio Ratzinger retirar o que havia dito em 2006 numa universidade, quando citou as palavras de um imperador bizantino sobre o que o Islã teria trazido de bom.
Nem eu, um reles blogueiro católico perdido nos cafundós do Judas, poderia pregar que pelo menos no Brasil todas as mesquitas devem ser destruídas (para que nunca mais emporcalhem a paisagem com seus minaretes horrendos), pois seria processado por alguém!
Quando houve aquele triste episódio do atirador da Noruega, toda a imprensa repetia que o cara era de direita e que ele era cristão fanático.
Já em relação ao atirador de Toulouse, eu não vejo tanta repercussão, pois ele é de origem argelina e viajou ao Afeganistão.
Que Deus não permita que essa praga, essa coisa asquerosa não seja expandida, pois tal fato seria uma catástrofe!

--------------------
Fonte da informação:
http://olhonajihad.blogspot.com.br/2012/03/maior-lider-muculmano-da-arabia-saudita.html

4 comentários:

FireHead disse...

A propósito do muçulmano de Toulouse que já era, vale a pena falar dos esquerdistas que tentaram demonizar a FN e a Marine Le Pen. Quando ainda não se sabia a identidade do criminoso, foram todos rápidos em imaginar que se trataria de um neonazi. Descobriu-se que afinal era um franco-argelino, descartaram-se das acusações e fizeram de conta que não se passou nada...

Infelizmente o Ocidente vai continuando com a sua atitude dhimmiesca. Se o Papa disser que as mesquitas deveriam ser queimadas, no dia seguinte ainda apareceria morto...

Já não existem Cruzados.

Evandro Monteiro disse...

E esse muçulmano a esta hora deve estar sentadinho no colo do capeta, ao lado do profeta-assassino que ele tantou seguiu.

. disse...

Só que as mesquitas são cópias das Igrejas.
o islam sempre roubou o que era bom dos outros e depois pôs ao serviço do engano e da maldade.

Evandro Monteiro disse...

"Só que as mesquitas são cópias das Igrejas.
o islam sempre roubou o que era bom dos outros e depois pôs ao serviço do engano e da maldade."

Disseste tudo, prezado anônimo.
O porco de Meca, na teimosia em se converter à Verdade, preferiu enganar-se a si mesmo e aos outros, criando uma seita assassina e desgraçada como o Islã.