terça-feira, 14 de janeiro de 2014

A porta da blasfêmia

Eu sei que quanto mais se critica a maneira asquerosa e blasfema com que os caras do "B(...)$t@ dos fundos" se referem ao cristianismo, mais ibope esses infelizes têm. Porém, infelizmente vou relatar o que vi.
Estava eu em Fortaleza hoje, dando um "rolezinho" num importante centro de compras - não, este filho da Zona Leste paulistana não estava com mais ninguém, meu rolezinho foi de um homem só - quando fui a uma livraria. Entre os vários livros, havia um do referido grupo "humorístico", e fui curiar.
Confesso que o que vi não me surpreendeu, afinal, vi as já famosas piadas escatológicas, sem graça e blasfemas. A mesma falta de respeito, o mesmo palavreado chulo, como se Cristo fosse um sujeito porco, imoral e devasso.
Acho uma pena que esses caras "descolados" do "B. D. F." tenham escolhido o pior caminho para fazer os outros rirem, que é o vilipêndio à fé alheia.
Não vou chegar e dizer que estarão todos no inferno, etc., etc., etc.. Crê se quiser. Não crê, respeite ao menos as escolhas de cada um.
 
 PS: Piada com gayzistas e muçulmanos ninguém fará, né?

terça-feira, 9 de abril de 2013

Tiririca me representa!


Com esse monte de bocós repetindo ad nauseam que "fulano não me representa", proponho o seguinte: quem poderia nos representar é o palhaço Tiririca!

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Só pra refletir sobre seitas

Existem seitas pseudo-cristãs que proíbem seus membros de entrarem no exército.
Existem seitas pseudo-cristãs que, por seguirem absurdamente ao pé da letra a regra do sábado, proíbem seus membros de trabalharem no sábado. E se o cidadão for médico ou policial?
Resumindo: quem não serve para entrar no exército ou não pode ser policial ou médico no sábado, não tem serventia alguma nesta vida.
A defesa da vida vale bem mais do que a leitura mal feita da Bíblia.

Uma causa, entre as várias...

Sabe por que a Igreja Católica muitas vezes não consegue atrair gente?
Porque nem os próprios padres crêem naquilo que pregam.
Frutos do desastroso Concílio Vaticano II.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Depois dizem que o demônio não existe...

O que dizer de alguém que, ao invés de pegar uma criancinha indefesa para cuidá-la com carinho, a joga numa fogueira como se fosse um ritual de Moloc?
Está escrito:

"Ergueram altares a Baal no vale do Filho de Hinon, para aí queimarem os filhos e as filhas em honra de Moloc, o que não lhes havia ordenado nem jamais me tinha passado pela mente: cometer tal infâmia e tornar Judá culpado de semelhante crime!" (Jeremias 32, 35)

O que dizer de “mulheres” que receberam de Deus o dom de gerar a vida, mas que o desperdiçaram, pois sem dó nem piedade fizeram a pobre criança arder numa fogueira?
Depois dizem que o demônio não existe!
Se fossem apanhadas, deveriam ter os corpos queimados em fogo lento, depois as pusessem num caldeirão fervente e, sem um pingo de pena, deixar torrar dentro do incinerador, que é pra ir se acostumando com o clima lá no inferno!

http://www.bibliacatolica.com.br/01/30/32.php

http://pildorasantimasoneria.blogspot.com.br/2012/03/europa-al-servicio-del-dios-moloc-baal.html

quinta-feira, 19 de julho de 2012

A queda do número de católicos segundo o IBGE

Ainda tratarei, brevemente, sobre a questão do aumento do número de "evangélicos" (melhor dizendo, protestantes) na população brasileira, fato tratado com grande alarde pela imprensa tupiniquim.

"A volta dos que não foram"

Voltei.
Hão de me criticar aqueles que acham que devemos manter nossa palavra até o fim, só que às vezes é preciso voltar atrás em certas decisões.
Foi o que fiz.
Havia escrito que não mais postaria neste blogue, estava obstinado em excluí-lo da net inclusive, mas não.
Meus problemas ainda continuam, diminuíram até, mas eles ainda estão me atormentando.
Eu, indigno servo do Senhor e da Santa Igreja, jamais poderia, apesar dos meus pecados e limitações, abandonar a batalha.
Não prometo aos amigos leitores a mesma freqüência de outros tempos, mas não vou parar de usar as palavras para combater o bom combate.
Não sou (e nem pretendo) ser mais católico que os outros, não pretendo dar aulas de teologia ou coisa parecida, nem "ensinar o Pai-Nosso ao vigário", mas existem coisas que não podem ser omitidas, quando é para elogiar alguém do clero, estamos aqui para isso, mas se for para criticar...
Obrigado aos blogueiros Ana Maria Nunes e Theophilus, que com suas palavras me deram o apoio suficiente para esta "volta", e àqueles que, mesmo sem ter entrado em contato comigo, eu sei que fizeram votos para que eu retornasse.
Estamos de volta, e "a luta continua".