quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

FELIZ NATAL E FELIZ 2010!

É o que desejo a todos os amigos e leitores do nosso blogue.
Que 2010 seja um ano de muito combate, muita luta, juntamente com o Santo Padre.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

O governador e o exterminador

Em Copenhague, um governador conversa com o "Exterminador do Futuro":
Serra: Ô Arnold, cê pode dar um jeitinho na violência lá em São Paulo?
Schwarzenegger: Herr Burns, já não bastam os incêndios florestais que enfrento na Califórnia, tu ainda quer me deixar na fogueira com aquela criminalidade na tua terra? NEIN!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Algumas sugestões para a questão agrária

Algumas sugestões de medidas a serem tomadas para a questão agrária foram dadas na chamada Declaração do Morro Alto (1964), que tinha, entre outros, os bispos D. Geraldo de Proença Sigaud e D. Antônio de Castro Mayer.
“Essas medidas medidas devem ser postas em prática [...] Entre outras, lembramos nesta síntese:
a) proteção contra o alcoolismo, o jogo, a prostituição e a prática das uniões ilegais;
b) salários proporcionados ao valor do trabalho e às necessidades do trabalhador e de sua família;
c) remuneração que torne possível o acesso do trabalhador diligente e parcimonioso à condição de proprietário;
d) melhoria das habitações do ponto de vista do conforto e salubridade;
e) assistência médica;
f) elevação do nível de instrução e educação.
"


Será que agora, quarenta e cinco anos depois, elas ainda continuam valendo ou essas medidas que foram sugeridas eram coisa de bispos fanáticos e obscurantistas?
Será que os atuais bispos brasileiros têm a mesma opinião?
Ou será que têm alguma sugestão melhor?
E se tais medidas tivessem sido tomadas, será que a situação no campo seria melhor?
Só Deus sabe.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

A inveja é uma...

Existe uma frase que é a seguinte: "A inveja é uma m&rd@".
O que seria o comunismo senão a inveja?
Um agricultor, por exemplo, que trabalhou a vida inteira e, depois de anos de serviço, adquire uma fazenda, trabalha nela com mais disposição, conquista lucros, gera emprego e renda para os outros, termina por comprar áreas vizinhas para expandir o terreno, gera mais emprego e renda, consegue uma melhor qualidade de vida para ele e a família até que...
Um bando de desordeiros quer colher os frutos do fazendeiro sem trabalho nenhum, simplesmente porque o dito cidadão tem uma propriedade e eles não têm!
Outro exemplo da inveja vermelha: certa operária que após anos de trabalho suado e morando de aluguel, conquista enfim a casa própria e outra casinha, cujo dinheiro do aluguel serve como complemento para o ordenado mensal da família. Só que aí vem um grupelho que quer tomar a casa alugada da operária porque ela já tem a sua e os invasores não têm!
É certo isso?
Quer dizer que o trabalhador do campo e o da cidade não podem ter mais de uma propriedade porque isso é símbolo de egoísmo, já que outros não têm um teto para morar?
Se isso não é inveja, então gostaria que me explicassem o que é.
É como aquele agricultor que compra uma semente de árvore frutífera, planta, aduba, rega, faz a árvore crescer, passa a colher os frutos dela, alimenta a família, mas como sobra muita fruta, ele se sentirá obrigado a repartir com os "oprimidos".
Ora, mas os frutos do trabalho são dele, que pode aproveitá-los como bem lhe aprouver! Que o trabalhador honesto tenha a boa vontade de repartir com quem não tem, não precisa ser coagido a dar o que não quer.
Inveja, não mais que inveja.
É com esse pensamento de "coitadinho" que surge a luta de classes, que é a inveja em estado puro: o pobre olha o rico como explorador, o aluno vê o professor como o opressor e o filho enxerga o pai como ditador, num círculo vicioso de ódio manifesto e quebra da ordem e da hierarquia, que acabarão em anarquia e caos.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Já dizia D. Sigaud...


D. Geraldo de Proença Sigaud, SVD (1909-1999), arcebispo emérito de Diamantina-MG, antítese de D. Hélder Câmara. Postagem completa a respeito dos padres subversivos disponível no blogue Adversus Haereses.
Ver também a carta pastoral de D. Geraldo, Socialismo: Cavalo de Tróia a serviço do comunismo, acessível na página do TERNUMA na internet.

Quanta falta faz um bispo desse na CNB do B!

Brasucas em fúria

O brasuca é um bicho engraçado demais: vê a roubalheira comendo solta na classe política e não diz nada, vê a violência tomando conta da sociedade e não diz nada, no máximo faz aquelas inócuas passeatas pela paz, vê o país ter fama de ser terra de mulher fácil e não diz nada, e depois fica todo melindrado quando um ianque faz piada com a escolha do Rio de Janeiro como sede olímpica.
O brasuca só lembra que é brasileiro no tempo de carnaval ou na Copa do Mundo.
Se o Robin Williams disse que o Brasil (leia-se quarteto Nuzman/Lula/Cabral/Paes) mandou “50 strippers e ½ kg de pó (cocaína)” para os velhinhos do Comitê Olímpico Internacional, o disse baseado na fama que o nosso Brasil varonil tem lá fora.
Ainda que ele seja viciado em cocaína, ator sem graça ou analfabeto em Geografia, ele está errado?
Ora, quando tem algum evento aqui, seja ele qual for, como é a recepção que se faz aos gringos?
É sempre a mesmíssima coisa: mulatas rebolativas com o traseiro de fora, requebrando como se o corpo fosse de mola, de forma muuuuuuuuuito sensual. É por causa desses brasucas que tem português que olha a nós brasileiros como uma sub-raça de vira-latas que vivem na bestialidade ou no vício das drogas. Se tem português que pensa assim, que dirá os outros povos?

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Serenata ao Senhor?

O amigo leitor e a prezada leitora já devem ter ouvido falar nas serenatas, onde antigamente os rapazes tocavam violão à frente das casas das belas moçoilas, que suspiravam de paixão.
Já há muito tempo que esse hábito caiu em desuso, pois se no passado os jovens cantavam a pegajosa “tu és divina e graciosa, estatua majestosa...”, hoje eles cantam, para as meninas (ou para os outros meninos, sei lá...), pérolas da qualidade de um “tchutchuca, vem aqui pro seu tigrão”.
Mas não é que a Revolução Carismática Caótica resolveu inovar também nesse sentido? Além das CRISTOTECAS temos também as formidáveis, as inoxidáveis, as inimitáveis e as inigualáveis SERENATAS AO SENHOR!!!!
Está lá escrito:

“O que é?
Imagine uma noite de sábado na igreja com uma iluminação especial, um clima de louvor com cantos de adoração e experimentando uma noite de intimidade com Jesus Sacramentado.
Imagine um jeito de mostrar o quanto amamos, o quanto adoramos, o quanto rendemos graças, é desta forma que pulsa em nosso coração o desejo de estar em intimidade com Ele. Aliás, intimidade, esta é a palavra que pode resumir todo o sentido da Serenata ao Senhor.
Serenata ao Senhor, uma noite de intimidade com Deus.
O projeto
Infelizmente, muitas vezes nós passamos por momentos de sequidão espiritual, momentos que nos afastamos da presença do Senhor.
A Serenata ao Senhor é uma noite especial onde o objetivo é experimentarmos através de uma noite na presença de Jesus Sacramentado a intimidade com Deus.
O Ministério Sacramusic, recebeu o chamado de levar a Serenata pelas diversas Igrejas onde for convidado podendo assim levar os irmãos a um contato de intimidade com Deus e um re-avivamento em sua fé.”

Só faltava a presença do Carnavalesco de Melo cantando os seguintes versinhos, ”quero ver, outra vez, seus olhinhos de noite serena”.
A verdadeira sequidão espiritual se dará quando essa juventude, tão certa que será eterna, envelhecer, ou pelo menos chegar aos trinta e cinco ou quarenta anos, se olhar no espelho e acordar de ressaca espiritual, depois de tanto putz-putz na cabeça.
Serenata?
Olha, Cristo merece todo o louvor, mas Ele não é nenhuma moçoila cheia de frescura açucarada, suspirando na janela por algum mancebo qualquer.
Cristo também não é um clubber, um freqüentador de raves barulhentas, pagodinhos românticos ou rock dito “católico”.
Não adianta querer abarrotar a igreja de jovens, se eles não tiverem o mínimo de respeito com as coisas do Alto.
Certa vez, lá pelo ano de 1966, entupiram uma igreja do Rio de Janeiro com a juventude em festa; como será que aqueles jovens estão, às vésperas de 2010? Quem foi o energúmeno que teve a idéia de jerico de transformar a missa numa filial da Jovem Guarda?
Deve-se tomar muito cuidado para não confundir louvor com barulho, pois a idade chega e muitos que agora estão arrebentando os tímpanos com tanta barulheira, amanhã estarão com dor de cabeça e o pior, sequidão espiritual, cansados de tanto abusar das novidades litúrgicas que caem de moda facilmente.

Santo André Apóstolo e a Santa Missa

Santo André, apóstolo, †70
Dia do Santo: 30 de Novembro

*É conservada quase a mesma ortografia do livro original, repare na descrição da Missa.

Quando começou o julgamento, Egeas (governador romano) tinha dito: "Es tu aquele André que derruba os templos de nossos deuses, e mete tolices na cabeça dos simples, para que abracem essa religião supersticiosa, contra a qual os imperadores deram ordens as mais severas?"

André: "Estas ordens foram dadas por imperadores que desconhecem a verdade; desconhecem a Jesus Christo, o Filho de Deus, que veio a este mundo para salvar os homens; são deuses, mas abjetos demonios."

Egeas: "Os judeus crucificaram Jesus Christo justamente por causa desta doutrina"

André: "Ah! Se conhecesses o mysterio da Cruz e comprendesses quem é Ele, que, Creador de todos os homens, por amor de nós tomou livremente a Cruz sobre si, para nos salvar!"

Egeas: "Livremente não, porque foi processado, preso, condenado e crucificado."

André: "Quem como ele, predisse a morte; quem como ele, predisse o modo por que havia de morrer; quem como ele, depois de morto, resuscita glorioso do sepulcro; quem como ele, disse: "Eu tenho o poder de entregar minha vida e de rehave-la e confirma esta doutrina por fatos inegáveis, morreu porque quis, morreu livremente e a salvação é um fato que se impõe a crença de todos"

Egeas: "É um absurdo ser discipulo de um crucificado"

André: "Se me quiseres ouvir, eu te explicarei este mistério."

Egeas: “A desconhecem ainda os deuses, que morte na cruz não é mistério nenhum, antes vergonha e castigo.”

André: “Uma coisa e outra: um castigo porque pela morte de cruz foi tirada a culpa do peccado; mysterio, porque tornou fato a graça substituiu o castigo e aos fieis é garantida a vida eterna.”

Egeas: “Com estas fatuidades divertirás a quem quizeres; eu, porem te digo: Se não abandonares está religião, se não renderes honra aos deuses, eu te mandarei a flagelação e mesmo a cruz, visto lhe teres tanta veneração.”

André: “O sacrifício que eu dia por dia offereço, não é incenso, não são holocaustos de bois e carneiros, mas é o Cordeiro immaculado, offerecido a Deus vivo e verdadeiro. Os fieis bebem o sangue e comem a carne deste Cordeiro, que não morre e a todos dá vida.”


Egeas: “Como é possível isso ?”

André: “Si quizeres tornar-te meu discípulo, eu t'o explicarei.”

A este convite de graça, Egeas respondeu com ordem de prisão. André foi encarcerado.
No dia seguinte sendo reiteradas as ameaças de morte e prestar culto aos Deuses romanos.
André respondeu ao Governador Egeas: “Meu martyrio tornar-me-á mais agradável a Deus; meu sofrimento pouco tempo durará, ao passo que teu tormento não terá fim”
Pregado na cruz, ficou dois dias nesta posição, edificando a todos os assistentes com os conselhos e orações. Aparecendo ainda com vida no terceiro dia, os fieis quizeram a força liberta-lo do tormento, mas quando puzeram mãos a obra, uma luz intensíssima desceu do céu envolveu o apostolo e depois de meia hora já tinha entregue a alma a Deus. Egeas sabendo de que o tinham sepultado o corpo do Apóstolo, enfureceu-se e pediu a exumação do cadáver. Deus porém castigou-o horrivelmente. Egeas ficou possesso do demônio e morreu em pleno desespero."Salve, santa Cruz, tão amada, tão desejada! Tira-me do meio dos homens, e entrega-me ao meu Mestre e Senhor, para que eu de ti receba o que por ti me salvou" (Santo André)

Fonte: Na luz Perpétua, Pe. João Batista Lehmann, 2ª. ed., Editora Lar Católico - Juiz de Fora - Minas Gerais, 1935

Texto disponível em:
http://www.sinaisdostempos.org/missa/santo_andre_missa.htm

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Pedofilia também mata!

Este filme já foi visto anteriormente...
13/09/2009 - 10h50
Menina de 12 anos morre após dar à luz no Iêmen
da Efe, no Cairo (Egito)
A iemenita Fawziya Abdala Youssef, de 12 anos, morreu de complicações pós-parto, informou neste domingo o jornal "Al Thawra". Youssef foi obrigada pela família a casar.
A Siag, organização de defesa dos direitos humanos que se dedica a proteger crianças, denunciou que Youssef morreu na sexta-feira (11), dias após dar à luz uma criança que também faleceu.
Youssef foi hospitalizada na cidade de Hiya, na Província de Al Hadida (norte), mas os médicos não conseguiram salvar a vida dela nem a do recém-nascido.
Segundo o site do jornal "Al Thawra", Youssef foi tirada da escola quando tinha 11 anos para se casar, já que a família é pobre e o pai dela está doente.
Segundo a Siag, esses casos são muito comuns e causam a morte de muitas adolescentes, embora não exista um registro oficial para óbitos deste tipo.
A organização também criticou a ausência de leis que proíbam as autoridades locais a permitir o casamento de crianças. [negrito nosso]

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u623270.shtml

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

O que dizer a respeito?

Se a criatura é atéia, vá lá.
Se a criatura gosta de ser livre-pensadora, vá lá.
Se a criatura gosta de ser homólatra, pederasta, lésbica, pornólatra, vá lá.
Se a criatura odeia a Virgem Maria, sei lá, mas se essa de ódio à mãe de Cristo ficar só na pessoa, tudo bem.
Mas não aceito que lancem blasfêmias contra Ela e muito menos contra o Filho d'Ela!
O link não será postado para não fazer propaganda do maldito, desgraçado, imundo e filho de meretriz, que escreveu coisas que nem ouso repetir contra a Santíssima Virgem, São José e o pior, contra o Senhor Jesus.
Só mesmo pela Divina Misericórdia que um infeliz de marca maior se salvará, mas se ele diz que Maria é um determinado bicho, ele que vá fazer companhia ao capeta.
Dá uma vontade imensa de pegar essa corja de arautos da liberdade de expressão e cremá-los "ao vivo"!
Espero que um dia ele se arrependa, só que pelo alto grau de orgulho do dito cujo, acho bem difícil.
Outra coisa incompreensível é que muitos que usam a bíblia debaixo do braço, que batem no peito arrotando sandices contra a Igreja Católica e que se dizem cristãos, tenham uma raiva incontida da Mãe de Jesus, se até os seguidores do vendedor de camelos semi-novos a honram como Virgem!

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Canção Morna's Farm

Seguuuuuuuuuuuura peãããããããããão!!!!!!!!!
Chiricantalaricantalá!!!
A Canção Morna, que além de celeiro (e fazenda) de heresias é uma filial do protestantismo dentro da Igreja Católica – basta olhar os programas do R. R. Soares ou do Valdemiro Santiago para se notar a semelhança –, está organizando o inoxidável, o inigualável e o inimputável III Canção Nova Sertaneja.
Será preciso dizer o que tem nisso?
Tem locutor de rodeio, cateretê (não é caratê, é CATERETÊ), catira, roda de viola e o pior, desfile de peões solenemente montados nos cavalos em plena missa.
Só me pergunto como é que alguém consegue comungar sentindo aquele cheiro forte de estrume de cavalo, já que os animais, enquanto circulavam pelo recinto durante a missa, faziam o nº 2 no meio do povo, deixando um rastro de b#$+@ sem nenhuma preocupação.
Não sei nem como aqueles padres de lá, tão metidos a cowboys, ainda não quiseram cantar “É o Amor”, “Fio de Cabelo” ou “Entre Tapas e Beijos”.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

É hoje! Prepara a pipoca!

Hoje a Pastoral Afro-Brasileira está em festa, porque é 20 de novembro, DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA!
Preparem a pipoca e os atabaques, vistam aquela bata colorida, o turbante mais bonito e ensaiem a batucada, porque hoje tem missa com muito axé e capoeira!

Saravá, Senhor Jesus!
Cantem essa música aqui ó:


Comemora-se o DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA (e consciência tem cor, por acaso?) no aniversário da morte de Zumbi (1655-1695), que liderou o Quilombo dos Palmares até ser morto num ataque feito pelo bandeirante Domingos Jorge Velho.
Diante de mais um dia de abusos litúrgicos pelo Brasil afora, só gostaria de lembrar aos afro-católicos (se é que existe esse tipo de nomenclatura), que não é só de Zumbi (ou Obama, Celso Pitta, Pelé, Bob Marley, etc.) que deveriam viver os movimentos sociais da CNBB. Saibam que existem muitos outros negros de valor muito maior do que o dos ícones do movimento, que deram exemplo de vida cristã, chegando às vezes ao martírio.
Acho que vou fazer campanha pelo DIA DA CONSCIÊNCIA BRANCA, digo, EURO-BRASILEIRA, e passar a usar camisas brancas com letras pretas com os seguintes dizeres: "100% BRANCO"!
Saravá e muito axé com fubá para todos.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Palavras fabéticas

Um certo padre artista andou visitando a quadra de uma escola de samba no Rio de Janeiro. Eis o que diria um(a) fabete fanático(a) a respeito disso:

"Ui, ui, ui, que lindo!
Padre no barracão? Que tudo!
Ele vai falar de Jesus aos pecadores, gêntem!
Chiricantalálálálálá! É purpurina na batina!
O Chalita que aprovou!
Vocês só criticam por inveja e ódio, porque o Carnavalesco de Melo tem mais ibope do que vocês!
Tudo que ele faz é lindo! É puro! Até ele pedindo licença pro santo no terreiro de macumba é de fazer qualquer romântico suspirar de emoção!"


Agora falando sério: já que esse padre ultrapassou TODOS os limites do suportável, porque ele não regrava logo aqueles sucessos do "rei" Roberto Carlos? Imagina aí, aquele vozeirão de chupador de ovo de codorna cantando:
"Detaaaaalhes tão pequeeeeenos de nóis dôis"...
Ou:
"Quando eeeeeeeeeeu estou aquiiiiiii, viveeeendo esse momento liiiiiiiindo"...
Ou:
"Amanhã de manhã, vou pedir UM café pra nós DOIS"...

Ou até alguma do maluco-beleza:

"Eu nasci, há dez mil atrás"

Já que é pra esculhambar, por que não aquela do Cazuza?
"Te chamam de ladrão, de bicha, maconheiro! Transformam o país inteiro num p*******, pois assim se ganha mais dinhêrooooooo"

Veja mais nos blogues Adversus Haereses e Sucessão a Apostólica.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

A escola de pervertidos

Se isto aqui não é pedofilia, realmente eu não sei de mais nada:
http://www.djef.com.br/?p=615
Acabei descobrindo essa excrescência por meio do blogue In Praelio.
Em relação às crianças, podemos ver no Evangelho o que o Senhor diz a respeito delas:
Disse-lhes Jesus: Deixai vir a mim estas criancinhas e não as impeçais, porque o Reino dos céus é para aqueles que se lhes assemelham. (São Mateus 19, 14)

Quanto aos escândalos, como esse das crianças fazendo a dança do acasalamento, o Senhor faz a seguinte advertência:

Jesus disse também a seus discípulos: É impossível que não haja escândalos, mas ai daquele por quem eles vêm!
Melhor lhe seria que se lhe atasse em volta do pescoço uma pedra de moinho e que fosse lançado ao mar, do que levar para o mal a um só destes pequeninos. Tomai cuidado de vós mesmos.
(São Lucas 17, 1s)

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Sou evangélico com muito gosto!

Na Igreja Universal à qual pertenço, temos muitos empresários. E não é só empresários, também temos gente bem-sucedida como executivos, industriais, militares, advogados, médicos, etc..
Na Igreja internacional à qual pertenço também há gente trabalhadora e humilde, que paga o dízimo fielmente e que confia em Deus, que abençoa a vida de todos.
Na Igreja mundial do poder de Deus à qual pertenço, não é só a mão d'Ele que está ali, mas é o próprio Deus inteiro, em Corpo, Sangue, Alma e Divindade! E a presença d'Ele sempre consola a todos que O procuram!
O líder da igreja evangélica à qual pertenço é mais do que um bispo, ele é o próprio representante de Cristo na Terra, e jamais deverá ensinar o erro aos seus fiéis, pois foi o próprio Senhor Jesus que prometeu a Pedro, que as portas do inferno jamais prevalecerão contra Ela!
Posso dizer com todo gosto que realmente sou evangélico, pois foi a Igreja da qual faço parte que escolheu o cânon dos livros sagrados da Bíblia, na pessoa desse mesmo líder.
Sabe quem é o atual líder da minha igreja evangélica?
Olhe a foto dele abaixo:

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

A volta do Adversus Haereses

Nos últimos dias, a blogosfera católica sofreu um duro golpe, com a sabotagem ao blogue Adversus Haereses.
Quem terá sido o autor?
Carismático?
Protestante?
Maometano?
Sionista?
Modernista?
Um(a) fabete enlouquecido(a)?
Boffento?
Ecochato?
Infelizmente não se sabe, mas o que todos sabem é que a tão propalada democracia só vale para os inimigos da Igreja, mas se é para algum católico defender a vida, a família e o próprio Cristo, aí a história muda.
Seja bem-vindo novamente à blogosfera, caro Daniel! Continue sempre nessa cruzada pelo Evangelho, por Cristo e pela Igreja.

domingo, 15 de novembro de 2009

O "bom católico" Lutero

Martinho Lutero era inimigo figadal do papado, e isso ninguém nega, mas o que dá tristeza é que tem muito padre ecumênico afirmando que o heresiarca de Eisleben “era católico, monge sério e sincero, que nunca quis deixar de ser católico”, “era escrupuloso” e “que Deus lhe permitiu descobrir que a salvação é dada ao homem somente pela fé em Cristo, como puro dom, e não como recompensa pelas obras”.
Lutero era “tão bom católico”, que quando os turcos estavam às portas de Viena (1522), expondo a Europa [ainda] cristã em grave perigo, os enviados do papa Adriano VI foram até a Alemanha para mobilizar a região, ante terrível situação.
Papa Adriano VI
“Se a Hungria cair, fatalmente a Alemanha cairá!”, alertavam os embaixadores papais.
A resposta dos príncipes heréticos, insuflados pelo monge rebelde, foi a seguinte:
“Preferimos servir aos turcos a servir a vós”. Tal resposta deixou o papa entristecido.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Fonte da história da resposta dos príncipes alemães:
História da Igreja em Quadrinhos. Ed. Paulinas. São Paulo. 1983.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Lindas e absolutas patacoadas

Quer ser famosa, filha? Tudo bem, mas tenha algum conteúdo pelo menos!
E não diga asneiras, caramba!
Isso é o que dá, quando uma mãe que não teve a fama do sucesso querer compensar o fracasso com a filha! Filha essa que, por sinal, parece ter o mesmo tanto de neurônios de muita subcelebridade tupiniquim.
É esse tipo de gente que faz a fama do nordestino ser tão ruim no resto do país!
Para encerrar, faço meu um comentário ao vídeo: “Sou do Signo de São Paulo com ascendente em Guarulhos”.

Nem tudo está perdido

Magdi Cristiano Allam

Nascido no Cairo (Egito) em 1952, de pais muçulmanos, Magdi Allam estudou com os padres salesianos. Emigrou em 1972 para Roma, onde se licenciou em sociologia pela Universidade La Sapienza. Trabalhou nos jornais “Il Manifesto” e “La Repubblica”, sendo atualmente vice-diretor do Corriere della Sera. Foi considerado um dos muçulmanos mais influentes da Europa, recebeu entretanto várias ameaças de morte por suas posições contrárias ao terrorismo islâmico. É autor de uma dezena de livros. Estudou longamente o Cristianismo, convenceu-se de sua veracidade e foi agraciado com o dom da fé. Em 23 de março de 2008, durante a cerimônia da vigília pascal, recebeu na Basílica de São Pedro o batismo das mãos do Papa Bento XVI, e mudou seu nome para Magdi Cristiano Allam. Após sua conversão, continuou seu grande renome.

Trecho da carta aberta ao papa, contra o diálogo católico-islâmico:

Para mim o Cristianismo não é uma religião “melhor” do que o Islã, ou uma religião “completa” com uma mensagem “perfeita e acabada” em face de um Islã, considerado como uma religião “incompleta” com uma mensagem “inacabada”. Para mim o Cristianismo é a única religião verdadeira, porque é verdadeiro Jesus, o Deus que se fez Homem e testemunhou em meio a nós homens, através das obras boas, a verdade, o fascínio, o razoável e a bondade do Cristianismo. Para mim o Islã, que reconhece um Jesus apenas humano –– que condena pois o Cristianismo como heresia porque crê na divindade de Jesus, e como idolatria porque crê no dogma da Santíssima Trindade –– é uma falsa religião, inspirada não por Deus mas pelo demônio.
Santidade Bento XVI, a Igreja, o Cristianismo e a civilização ocidental hoje estão sucumbindo, pela penetração da chaga interna do nihilismo e do relativismo de quem perdeu a própria alma, sob o influxo da guerra de conquista de natureza agressiva do extremismo e do terrorismo islâmicos, acrescidos do transviamento de um mundo que se globalizou; inspirando-se na modernidade ocidental, mas apenas na sua dimensão materialista e consumista, enquanto não acolheu inteiramente a sua dimensão espiritual e de valores.

Texto disponível em:
http://www.catolicismo.com.br/materia/materia.cfm?idmat=F4D82838-3048-313C-2E45318DA50C718F&mes=Dezembro2008

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

PORCO IMUNDO! HEREGE E BLASFEMO MALDITO!

Anotem bem aí, o nome do herege da Revolução Carisnóica: IRONI SPULDARO.
Vejam a "pérola" que esse infeliz pregou: http://www.box.net/shared/8pe52mf8ks
Como esse porco diz tamanha asneira e nada acontece?
Como esse dublê de pastor protestante continua dizendo os disparates dele e ninguém faz nada?
Como esse porco consegue falar das partes de Cristo como se fossem qualquer coisa?
E depois ainda vem um chato carismatóide nos perguntar "por que tanto ódio no coração"?
Que os carisnóicos vão tomar... banho!
Que esse infeliz vá lavar essa boca maldita e suja, infinitamente mais suja do que qualquer parte do Corpo Glorioso de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Creio que até o demônio esconde o rosto, com tamanha blasfêmia.

E tu, o que farás?

Caro leitor, de Deus ninguém zomba!
Enquanto muitos, no atual momento, estão a gozar de Deus, vivendo como se Ele não existisse...
Enquanto muitos padres se calam, se omitem covardemente, com medo de o povo ficar sem ir à missa e deixar de pagar o dízimo...
A morte é inevitável!
O que faremos quando Deus Filho vir ao nosso leito de morte e buscar a nossa alma?
O que diremos a Ele?
Que nossas almas sintam o justo temor de imaginá-lo ofendido!
Que nossas almas busquem a santidade!
Que nossos padres falem do mal do pecado e das graças da conversão!
Quado formos pesados na balança da Justiça Divina, será que estaremos devidamente pesados para o lado das boas obras?
Tomemos cuidado com o Dia da Ira [de Deus] - Dies Irae - dela os pecadores não escapam!
Convertamo-nos, queridos irmãos - essas palavras valem mais para mim, pois acabo de perder meu avô, homem devoto de Nossa Senhora e que instruiu os filhos, incluindo meu pai, no hábito das coisas da religião, como a devoção do terço, por exemplo - já que da morte não escaparemos, e que possamos ser dignos de nos encontrarmos na casa do Pai, que tem muitas moradas, como o Senhor Jesus disse.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Europa de quatro para Satã

CAIU A MÁSCARA! Tribunal Europeu dos “Direitos Humanos” (já disse e repito: COMO EU ODEIO ESSA PORCARIADA DE DIREITOS HUMANOS!!!) condenou a Itália por usar crucifixo em escolas.
Uma certa cidadã, obviamente democrática, a favor da liberdade, da igualdade e da fraternidade, denunciou o governo italiano por usar crucifixos na escola onde os filhos dela estudam, sob a alegação de que era uma instituição laica, além de deixá-los em situação constrangedora. Creio que os filhos dessa criatura deverão ser, no futuro, arautos da liberdade, do racionalismo, da democracia e dos direitos do homem e do cidadão
Dito e feito: ficou decidido que a rapariga – no sentido brasileiro mesmo, não no português – deverá receber uma indenização de alguns milhares de euros. A Itália vai recorrer da decisão.
Quanto a isso, o Secretário de estado do Vaticano, Cardeal Tarcisio Bertone, afirmou: “esta Europa do terceiro milênio nos deixa somente as abóboras das festas recentemente celebradas e elimina os símbolos mais queridos”.
Gostaria de ver, caso a Turquia fosse associada a esse clubinho fajuto, se ela seria punida caso alguma cristã fosse obrigada a usar aquele véu que toda muçulmana tem de pôr na cabeça.
Que esse tribunal maçom, sionista, anticristão e filho da Besta jamais levantaria a voz contra a implantação da charia sobre populações não-muçulmanas, isso não é novidade para ninguém.
Com certeza gente como D. Pedro Casaldáliga deve ter aplaudido tal decisão.
Vale, entretanto, lembrar as palavras de São Paulo Apóstolo:
A linguagem da cruz é loucura para os que se perdem, mas, para os que foram salvos, para nós, é uma força divina. (I Coríntios 1,18)

Quanto a mim, não pretendo, jamais, gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo. (Gálatas 6,14)


- - - - - - - - - - - - - - - -

Que doideira - parte 11

PAREM AS MÁQUINAS!
PASTOR MICHAEL JACKSON NÃO MORREU!!!!

Eu sei que a coisa anda feia pelos lados do protestantismo, que tudo faz para aumentar o número de fiéis, mas devo confessar que rolei de rir com o pastor do vídeo.
Pastor Michael Jackson não morreu: http://www.youtube.com/watch?v=Hau9P-oAbeQ
Daqui a pouco vai ter gente da Revolução Carismática imitando o dito cujo.

sábado, 31 de outubro de 2009

Hipocrisia universitária

Um fato inacreditável ocorreu durante esses dias, numa universidade em São Bernardo do Campo-SP.
Uma estudante foi tratada com vaias e agressões verbais por usar um vestidinho tão curto e minúsculo que, como diz aquela frase, “dava até pra ver a etiqueta”.
Muito me admira essa reação tão explosiva de muitos estudantes da Unibambi, como agora a instituição de ensino é chamada.
Logo uma juventude tão ciosa da libertinagem que a caracteriza ficar escandalizada com os trajes sumários de uma colega?
Logo moçoilas que dormem com o namorido na casa dos pais?
Logo certos rapazes que freqüentam boates e passeatas de orgulho de não sei o que lá?
Logo uma mocidade que gosta de estragar a saúde nas malditas raves, com tanta droga e bebida, receber de forma tão violenta alguém que ficou chamando a atenção?
Um bando de maconheiros filhinhos de papai, vagabundos de marca maior, que antes deveriam se olhar no espelho antes de falar mal de outra pessoa!
Um monte de invejosas que morrem de vontade de ter a coragem de usar uma roupa chamativa daquelas!
Entretanto, sejamos justos: que respeito e dignidade a tal estudante queria, ao se expor daquela maneira?
Ora, “quem planta vento, colhe tempestade”, já dizia o famoso adágio.
Que homem iria respeitar uma mulher que mais se parece com mercadoria de açougue, com as carnes à exposição do grande público?
Que liberdade é essa que transforma o sexo feminino em mero produto sexual?
Por que para garantir o sucesso, uma mulher tem de mostrar “as partes” de forma tão exagerada?
Será que no Brasil só quem é “gostosa” e adepta da chamada “bundalização” sobe na vida?
Passou muito da hora de as mulheres repensarem o papel delas na sociedade.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

A TL e os moradores de rua

Estudos demonstram, por exemplo, que boa parte dos moradores de rua de São Paulo — e isso deve ser verdade em todas as grandes cidades — são doentes mentais. Em alguns casos, a doença é efeito da droga; em outro, os males se conjugaram. Não há local para recolher e tratar essas pessoas ainda que a Prefeitura se dispusesse a tirá-las das ruas. Ao contrário: aqui em São Paulo, certa Escatologia da Libertação, cobrindo o rabo do capeta com a batina, advoga justamente o contrário: o “direito” que essas pessoas teriam de morar nas ruas. ONGs chegam ao requinte de distribuir cachimbos para o consumo de crack e um kit com seringa, água esterilizada e outros apetrechos para o uso de drogas injetáveis. Só falta fornecer mesmo a droga. A suposição, sempre, é a de que, já que o consumo é inevitável, que seja feito de maneira segura. Iniciativas como essas costumam contar com ajuda oficial.
Trecho do artigo "Drogas - o pacto com o demônio", de Reinaldo Azevedo. Disponível em:
Resumindo: vamos deixar fulano de tal viver de forma sub-humana nas ruas porque ele se sente bem?! Uma informação dessas é até um contra-senso, posto que os teóricos da TL gostam de arrotar palavras politicamente corretas a favor dos pobres!

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Chupa esse limão, Ma$$edão!

Como repercutiu no mundo todo a conversão de quase meio milhão de anglicanos à Igreja Católica, fato que foi, inclusive, noticiado nas emissoras de televisão do Brasil, como a Globo e a Bandeirantes, a TV Recópia, que não passa de um clone muito mal disfarçado da não menos péssima TV Plim-Plim, ao invés de dar o braço a torcer diante de tão maravilhoso acontecimento, deixou todo o azedume que a inveja causa e passou a notícia de uma diocese nos States que entrou em falência por causa dos processos contra padres pedófilos.
Ou seja: a tal parcialidade do jornalismo da TV Recópia é tão verdadeira quanto a isenção do Jornal Nacional, é estorinha de faz-de-conta.
Só cabe a nós católicos mandarmos uma mensagem de apoio ao "bispo":
CHUPA ESSE LIMÃO, MA$$EDÃO!

sábado, 24 de outubro de 2009

Ai, Espanha! Que fizeste?

Onde está a Espanha outrora católica?
Cadê o baluarte da civilização cristã ocidental?
Onde estão os defensores do grandioso nome de Nosso Senhor Jesus Cristo?
Onde estão os servos de Maria Santíssima, Rainha do Céu?
Blasfêmias espanholas contra a Mãe de Deus:
http://www.rainhamaria.com.br/Pagina/7782/Apostasia-Calendario-retrata-aparicoes-da-Virgem-Maria-como-transexuais

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Pio XII explica a diferença entre "povo" e "massa"

Trecho da rádio-mensagem de Natal do papa Pio XII, em 1944:

Povo e multidão amorfa ou, como se costuma dizer, «massa», são dois conceitos diversos. O povo vive e se move com vida própria; a massa é por si mesma inerte, e não pode receber movimento sem ser de fora. O povo vive da plenitude da vida dos homens que a compõem, cada um dos quais — em seu próprio lugar e a sua maneira — é pessoa consciente de suas próprias responsabilidades e de suas convicções próprias. A massa, pelo contrário, espera o impulso de fora, joguete fácil nas mãos de um qualquer que explora seus instintos ou impressões, disposta a seguir, cada vez uma, hoje esta, amanhã aquela outra bandeira. Da exuberância de vida de um povo verdadeiro, a vida se difunde abundante e rica no Estado e em todos os seus órgãos, infundindo neles com vigor, que se renova incessantemente, a consciência da própria responsabilidade, o verdadeiro sentimento do bem comum. Da força elementar da massa, habilmente manipulada e usada, pode também servir-se o Estado: nas mãos ambiciosas de um só ou de muitos agrupados artificialmente por tendências egoístas, pode o mesmo Estado, com o apoio da massa reduzida a não ser mais que uma simples máquina, impor seu arbítrio à melhor parte do verdadeiro povo: assim o interesse comum fica gravemente ferido e por muito tempo, e a ferida é muitas vezes dificilmente curável.
Com o dito aparece clara outra conclusão: a massa — como nós acabamos de defini-la — é a inimiga capital da verdadeira democracia e de seu ideal de liberdade e de igualdade.
Em um povo digno de tal nome, o cidadão sente em si mesmo a consciência de sua personalidade, de seus deveres e de seus direitos, de sua liberdade unida ao respeito da liberdade e da dignidade dos demais. Num povo digno de tal nome, todas as desigualdades que procedem não do arbítrio, mas sim da natureza mesma das coisas, desigualdades de cultura, de bens, de posição social — sem menosprezo, é claro, da justiça e da caridade mútua —, não são de nenhuma maneira obstáculo à existência e ao predomínio de um autêntico espírito de comunidade e de fraternidade. Mais ainda, essas desigualdades, longe de prejudicar de maneira alguma a igualdade civil, lhe dão seu significado legítimo, quer dizer, que ante o Estado cada um tem o direito de viver honradamente sua existência pessoal, no modo e nas condições em que os desígnios e a disposição da Providência o tem colocado.

Texto completo em:
http://www.vatican.va/holy_father/pius_xii/speeches/1944/documents/hf_p-xii_spe_19441224_natale_sp.html (original em castelhano, traduzido por mim)

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Convite a todos os amigos do blogue

Gostaria de convidar os amigos do blogue a visitarem a página do Recanto das Letras e conhecerem o meu espaço lá:
http://recantodasletras.uol.com.br/autores/malacabado

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

“Juntado com fé...”

Há um dito popular que é o seguinte: “Juntado com fé, casado é”.
Será verdade?
Eis as palavras da Igreja:

Existe união livre quando o homem e a mulher se recusam a dar uma forma jurídica e pública a uma ligação que implica intimidade sexual.
A expressão é enganosa: com efeito, que significado pode ter uma união na qual as pessoas não se comprometem mutuamente e revelam, assim, uma falta de confiança na outra, em si mesma ou no futuro?
A expressão abrange situações diferentes: concubinato, recusa do casamento enquanto tal, incapacidade de assumir compromissos a longo prazo. Todas essas situações ofendem a dignidade do matrimônio, destroem a própria idéia da família, enfraquecem o sentido da fidelidade. São contrárias à lei moral. O ato sexual deve ocorrer exclusivamente no casamento; fora dele, é sempre um pecado grave e exclui da comunhão sacramental
(Catecismo da Igreja Católica, n.º 2390).

No meloso e chatíssimo mundo pós-moderno e politicamente correto em que vivemos, tal situação, que até há poucas décadas era chamada de concubinato, amasiamento ou amancebamento, agora é nomeada como “relação estável”.
Os padres e demais agentes de pastoral, tão ciosos dos deveres sociais pelos quais estão habituados a lutar, deveriam chamar a atenção da paróquia sobre a baixeza de tal mentalidade, que denigre a vida social e “coisifica” o ser humano.

Trecho do catecismo disponível em:
http://catecismo-az.tripod.com/conteudo/a-z/f/fidelidade-conjugal.html

Igreja e homossexualismo

Não posso deixar de passar para vocês, prezados leitores do blogue, o seguinte pensamento, extraído de um pára-choques de caminhão:
"Se homossexualismo fosse normal, Deus teria criado Adão e Ivo".

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

E quem disse que eu sou democrático?

Quem foi que disse que eu gosto da demo-cracia?
Depois do vandalismo do Movimento dos Sem-Vergonha ter destruído várias laranjeiras de uma empresa no interior de São Paulo, aí é que fiquei mais "reaça", como os esquerdopatas gostam de chamar quem não reza pela cartilha deles.
Creio que o poder só deva ser exercido por quem tenha competência e capacidade, para que possamos viver numa sociedade com ordem, segurança e respeito à propriedade alheia.
A partir do momento em que o Estado não consegue impor suas regras a todos os níveis da sociedade - vide traficantes das favelas de São Paulo e, principalmente, do olímpico Rio de Janeiro - é necessário que sejam tomadas medidas mais duras.
Outra coisa: por que menor infrator, assassino e estuprador nunca é penalizado?
Por que a bandalha vermelha do MST invade, destrói e comete assassinatos e nada acontece?
Por que traficante tem regalias que nem o mais honesto trabalhador tem?
Por que os professores são obrigados a aturar alunos sem o mínimo de respeito, além do fato de que muitas vezes sofrem com a violência, causando traumas para o resto da vida?
Por que terroristas vermelhos que assaltaram e mataram pessoas inocentes são recompensados com bolsa-anistia, enquanto as famílias dos bravos soldados que foram mortos combatendo o bolchevismo guevarista sequer receberam um pedido de desculpas?
Mais uma coisa: no novo "mundo possível" lat(r)ino-americano bolivariano, brasileiros são perseguidos na Bolívia porque cometem o "pecado mortal" de ostentar coisas que os nativos não têm, é por isso que um estudante brasileiro foi assassinado recentemente. É a lei da inveja!
Na nova ordem da homolatria, a rapaziada alegre pode rasgar e queimar a foto do papa que não acontece nada, mas se um padre ousar combater essa gente do arco-íris é acusado de preconceituoso!
A resposta é bem clara: falta ordem e falta hierarquia!
Até dentro da Igreja vemos essa desordem, onde ministros leigos têm mais peso do que muito padre preguiçoso.
Os bispos tupiniquins, amparados pelo "1789 da Igreja" (o hiper-super-mega concílio dos concílios, o Vaticano II), desobedecem o Santo Padre abertamente, sobretudo em relação ao motu proprio Summorum Pontificum.

A verdadeira democracia - se é que ela realmente existe - é aquela onde uma sociedade viva baseada na justiça, na recompensa aos que trabalharam e agiram melhor, na punição dos faltosos e na busca da moralidade pública, tudo pelo bem comum da população.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Paulista recalcado? Brasileiro chateado

Todos, principalmente os cariocas, podem me chamar de invejoso, de que estou com dor de cotovelo, porque eu, paulista, torci contra a escolha do Rio de Janeiro para as Olimpiadas de 2016.
Não, eu não errei a escrita, é Olim-PIADA mesmo.
E outra coisa: não vou cair na hipocrisia de dizer que são as Olimpíadas do Brasil, como fizeram no Pan de 2007 no Rio de Janeiro, só que aí depende: se for pela conta paga, é do Brasil sim, mas só por isso.
Já digo logo que, se ao invés do Rio de Janeiro fosse escolhido um certo bairro da periferia "zonaléstica" paulistana de nome São Miguel Paulista, que é a terra natal deste que vos escreve, também seria contra.
E por quê?
Porque temos problemas demais para resolver, nossa educação está vivendo uma fase crítica de qualidade, só não vê quem não quer, a nossa saúde também vai mal das pernas, os nossos transportes estão aquém do mínimo necessário de dignidade, etc., etc. e etc., fora o quesito SEGURANÇA, que não é lá essas coisas.
Dá-se a impressão que com a Copa-14 e as Olimpíadas-16 tudo será perfeito, vai ficar que nem na música do Belchior, "tudo é divino, tudo é maravilhoso".
Esse ufanismo todo do "Brasil-potência", com direito a pré-sal já anda enchendo demais o saco.
É claro que era deprimente aquele clima derrotista que dominava o sentimento da nação há uns vinte anos, quando éramos tomados pela hiperinflação e pela dívida externa, mas também não vamos cair na besteira de que já somos os melhores do mundo em tudo, como agora.
O Brasil tem certas dívidas que ainda não foram pagas: temos, porventura, algum prêmio Nobel, por exemplo? Principalmente no ramo científico?
Quantos "brasucas" que vão para o exterior desenvolver seus projetos, porque aqui não temos condições?
Quantos outros que ficaram, heroicamente trabalhando para a grandeza do país?
Quem não se lembra daqueles trabalhos científicos da Aracruz que foram destruídos pela bandalha do MST?
Até os argentinos, que aqui são alvos de piada, têm o seu prêmio Nobel, como o Chile também.
Agora agüente sete modorrentos e longos anos de carnaval, bunda, futebol e aquela criançada chata que fica aparecendo na televisão, crente que estará competindo no Rio, como se todas tivessem essa oportunidade!
Escolha política, não mais que isso, do mesmo jeito que escolheram Pequim-08. É o igualitarismo até no esporte, com essa besteira de revezamento de sedes.
Custava escolher Madri? Lá está tudo quase pronto, uns 80%! Só porque a próxima olim-PIADA será em Londres?
Para encerrar: patriotismo sim, patriotada ridícula de copa do mundo, NUNCA!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

O que são a "Universal" e o PT?

(...) O que é a Universal? Edir Macedo nada mais fez do que se apropriar das vertentes populares do catolicismo, dando visibilidade à sua dimensão, vamos dizer, mágica, coisa que a Igreja Católica Apostólica Romana, ao longo do tempo, mais combateu do que incentivou. Não custa lembrar que o santo mais popular do Nordeste, Padre Cícero, não é… santo! Até hoje, os pastores da Universal incentivam seus fiéis eletrônicos a pôr um copo d’água perto da televisão para que ela seja “ungida”. Em Dois Córregos, ouvíamos a bênção do Padre Donizetti, uma gravação transmitida pelo rádio - em latim! Estimulados por um sujeito que, depois, virou vereador (Pedro Geraldo Costa), púnhamos um copo d’água sobre o rádio. Também pertence ao catolicismo popular a tradição das benzedeiras - jamais reconhecidas pela Igreja. Os pastores de Macedo “benzem” seus fiéis. Mais do que isso: até outro dia, em programas de televisão, realizavam exorcismos às pencas - mas não aquele regulamentado pelo Vaticano. O de Macedo incorporou, para expulsá-las, as entidades das religiões de origem africana. A Universal (não custa lembrar que “católica”, em grego, quer dizer “universal”) criou uma indústria da fé com os elementos que a Igreja rejeitou. Não estou fazendo juízo de valor. Trata-se apenas de uma constatação.
Qual foi a “novidade” trazida por esse ex-funcionário público pobretão, hoje um dos homens mais ricos do país? A idéia do “desafio” feito a Deus, algo que ele importou de algumas seitas americanas. Isso a que se chama “Teologia da Prosperidade” nada mais é do que o estabelecimento de uma relação mercantil com a fé.
[...] Ele explica muito bem como a coisa funciona. É preciso que o crente veja o seu pastor como um homem destemido, intermediário entre o mundo celestial e o terreno. Ao fiel cabe fazer a sua parte, com a doação de dinheiro. Os amanhãs sorridentes estão garantidos. Nesta madrugada, enquanto a Record News reapresentava um jornal e depois reprisava as entrevistas de Renan Calheiros e de Lula, a outra Record garantia que, se tudo vai mal da vida do telespectador, basta que ele vá a uma Igreja Universal para participar de uma tal cerimônia dos 318 pastores. Mais tarde, enquanto Serra discutia o Orçamento do Estado e os problemas do Brasil na emissora chique, na outra, uma “empregada” ia fazer macumba no cemitério para ferrar a vida da patroa que a demitira. Por telefone, “amigas” davam testemunhos ao pastor dos males de que foram vítimas: coisa do capeta, do chifrudo, do coisa ruim. Tudo isso tem cura? Tem. Basta ir à Igreja Universal do Reino de Deus.

PT e Universal são duas máquinas de explorar a ignorância, a crendice, a miséria material e a pobreza espiritual. Também o partido, a exemplo da seita, exige uma disciplina de seus militantes - ambos, não custa dizer, cobram dízimo. Macedo põe os seus fiéis para lutar contra os demônios e as entidades malignas, responsáveis diretos por uma vida malsucedida. No PT, esse espírito mau são as “elites”. Tenho cá minhas dúvidas do que pode acontecer com a Universal sem Edir Macedo: é grande a chance de degringolar; tenho certeza do que vai acontecer com o petismo no dia em que não mais tiver Lula: vai se esfacelar em várias correntes.
O petismo está para a renovação da política como a Universal está para a renovação do cristianismo. Trata-se, cada uma no seu campo, de forças regressivas. Uma empurra o país para trás - e acreditem: empurra; o tempo dirá. A outra confere à vida espiritual uma dimensão meramente instrumental: pague, que Deus devolve. Sabem que sou católico e poderão dizer: “Não é assim na sua Igreja?” É claro que não é - ou, quem sabe?, ela estaria ganhando fiéis em vez de perder. Esta crítica, ademais, passa longe das denominações protestantes tradicionais, que levam a sério o seu ministério. Está claro a que “igrejas” estou me referindo.
Costumo dizer que não respeito nenhuma mais nova do que o uísque que bebo.
E não me venham dizer que estou atacando a liberdade religiosa. Se um vagabundo ocupa uma concessão pública de TV para dizer que faz milagres, ou ele prova o milagre - quero ver um - ou tem de ir em cana. Acusação: charlatanismo, curandeirismo, estelionato. Afirmo e dou fé: os pastores e “bispos” de Macedo, incluindo ele próprio, não fazem nem operam milagres. Tampouco são intermediários de uma intercessão divina e milagrosa. (...) [destaques meus]

Texto completo em:
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/a-universal-e-o-pt-da-religiao-e-o-pt-e-a-universal-da-politica/

terça-feira, 29 de setembro de 2009

O papa e a camisa do Fortaleza

Imagine a seguinte cena: o papa está em pleno horário de visitas, com gente do mundo todo querendo trocar uma idéia com ele. São várias pessoas, de todos os recantos do mundo, seja pessoas de todos os credos ou mesmo sem crer em nada.
Vê-se que na fila há muitos padres, querendo receber as bênçãos do Santo Padre, aproveitando até a ocasião do Ano Sacerdotal. Algo a ser notado é que há um certo número de padres brasileiros, entre os quais um cearense.
Chega a vez do sacerdote nordestino, que é recebido pelo papa:
Papa: Seja bem-vindo, meu filho - diz com aquele sotaque alemão - como é bom recebê-lo!
Padre: Santidade, o senhor nem faz idéia da grande satisfação... estou realmente muito emocionado.
Papa: Ora, o que é isso? Como vai aquela terra simpática do Ceará?
Padre: Olha, uma parte dela vai bem e a outra nem tanto.
Papa: Como assim uma parte?
Padre: É o seguinte: é que o Ceará, em termos futebolísticos, divide-se em dois: o Ceará e o Fortaleza...
Papa: ...
Padre: E como o time do Fortaleza está quase rebaixado para a terceira divisão...
Papa: E o que eu tenho a ver com isso?
Padre: Bem... é que... bom, como o senhor é o representante de Cristo na terra, gostaria que recebesse essa camisa do "Tricolor de Aço"! É para dar uma forcinha!
Papa: Tudo bem, recebo com grande gosto e agradeço pela oferta, mas quero que me responda umas coisas.
Padre: Claro, Santidade, o que o senhor quer saber?
Papa: O seu time já foi bicampeão mundial?
Padre: Não.
Papa: O seu time já conquistou quatro vezes a Liga dos Campeões, maior torneio de clubes do mundo?
Padre: Não.
Papa: Conquistou ao menos o campeonato nacional? Pois o meu conquistou vinte e um!
Padre: Não, ganhou trinta e oito estaduais, mas... peraí! Santidade, eu vim aqui para lhe dar a camisa do meu time ou para ficar ouvindo as glórias do seu? Aliás, o senhor torce por algum time?
Papa: Eu sou Bayern de Munique desde criancinha!
Agora falando sério: se determinado padre tem alguma preferência no futebol, tudo bem, não há algo errado nisso, mas querer colocar paixões clubísticas como tema principal de uma conversa com o papa? Aí já é demais, hein padre!

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Muito bem, D. Orani! Continue sempre assim!

Olha, os cariocas podem me chamar de bairrista, já que eu, paulista, sou contra o Rio de Janeiro sediar os Jogos Olímpicos de 2016. Sou contra o Rio e seria contra São Paulo, se concorresse também.
Bom, não diria que é bairrismo, pois eu sou contra o nosso Brasil varonil ser a sede da Copa de 2014, foi mais por questão de prioridade: será que os bilhões de reais, dólares ou euros enfiados nesse evento esportivo não seriam mais úteis se fossem usados na saúde por exemplo? Só vemos pelos jornais a choradeira do governo em aumentar os impostos, usando o pretexto da saúde!
Num ensolarado domingo carioca, com muita praia e calor "humano demais", a Arquidiocese do Rio de Janeiro, que atualmente conta com D. Orani João Tempesta, resolveu dar a sua forcinha para a candidatura carioca para as Olimpíadas de 2016.

O arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, encerrou a cerimônia orando para que as autoridades possam ir e voltar em paz, e que tragam boas notícias. Depois, todos os presentes rezaram a oração do Pai Nosso.

Num ato ecumênico com direito a infiéis, pagãos e hereges rezando o Pai-Nosso sob os braços do Cristo Redentor, membros da igreja do Rio (sabe-se lá por quais razões) quiseram fazer parte do carnaval montado:

Representantes da Igreja Católica, da Igreja Protestante, da Fraternidade Judaica e de cultos afro-brasileiros fizeram preces para que o Rio de Janeiro seja escolhido como cidade-sede das Olimpíadas de 2016.

A troco de quê? Para que o clero armou esse circo todo? O que a Arquidiocese do Rio de Janeiro vai ganhar com isso? Que diferença fará se o Rio sediar ou não as Olimpiadas? Que perca para Chicago, Tóquio ou Madri!
"Ide e promovei Jogos Olímpicos a todas as criaturas"? Foi isso que Cristo Senhor ordenou, D. Tempesta?
"Ide e dialogai com hereges e pagãos"? Foi isso que Cristo Senhor ordenou, D. Tempesta?
Ora, o Rio de Janeiro - tanto o estado quanto a capital - é a região com a a menor taxa proporcional de católicos na população, em comparação com o resto do país.
Isso, D. Tempesta, continue sempre assim mesmo, troque afagos com os infiéis - leram até trechos do Al-borrão na reunião!
Vá dormir seu soninho ecumênico, D. Tempesta! Depois não vá chorar amargamente, implorando a Deus que seja só um pesadelo!

domingo, 27 de setembro de 2009

O protestantismo virou o "Zona Total"?

Mais uma dos filhos de Lutero: brinquedos bíblicos!
Quer dizer que imagem com zelo e devoção não pode, mas brinquedinho pra criança zuar pode???
Paiiiiiiiiii, quero um de natal!
Adriana Monteiro
- - - - - - - - - -
Quanto aos bonecos, tem vários modelos, como o de Moisés...
Nem o Senhor e a Virgem Maria escaparam dessa... desse... ah, disso aí!

Só gostaria de saber quem foi o jerico - os eqüinos que me perdoem - responsável por essa idéia feno-animal! Esse "Gezúis" está mais para bombado-lutador-de-telecatch-que-virou-galã-de-Hollywood do que para JESUS mesmo.
Vem logo, Senhor Jesus!

Só algumas palavras

Isso mesmo, modernistas e cristãos de fachada, tragam mesmo os inimigos declarados da verdadeira fé para junto de vós, com muitos sorrisinhos e tapinhas nas costas! Depois não vão chorar amargamente quando esses mesmos amiguinhos usarem as cimitarras da paz para amputar as vossas reverendíssimas, ocas e tolerantes cabecinhas!
* * * * * *
Aos infiéis: vejam que vossa civilização cresce, mas surgirá um dia, ainda que demore anos ou séculos, que o vosso falso profeta será finalmente desmascarado e terá o nome jogado na lama, para honra e glória de Nosso Senhor JESUS CRISTO!

terça-feira, 22 de setembro de 2009

A natureza seria machista?

Quando menos se espera, a própria natureza nos dá certas respostas a certos questionamentos.
Explico.
Nas últimas décadas, com o advento do feminismo, muita coisa que até outrora era papel da mulher praticamente caiu em desgraça na sociedade moderna, tão ciosa de seu igualitarismo.
Antigamente a mulher ficava sob os cuidados do homem, era tida como o "sexo frágil" - expressão incorretíssima - e ficava tomando conta da casa e da educação dos filhos.
De uns anos para cá, mulher que é mulher sai para trabalhar, deixa o marido (se é que o tem) em casa cuidando do filho, e demonstra muita força, até porque mulher sensível é coisa do passado.
Eu respeito, porém não concordo muito com mulheres em profissões consideradas masculinas, como borracheiras ou caminhoneiras, mas essa é tão somente minha opinião.
Voltemos à natureza: no ano passado, meu pai pegou um galo e uma galinha e os pôs no quintal da casa dele, para abatê-los num domingo qualquer, plano frustrado pelo cachorro que numa noite atacou a pobre galinha, mas isso aí é outra história...
Durante o tempo em que o "penoso" casal esteve junto, a fêmea sempre seguia os passos do macho, e ai dela se quisesse desviar, o galo esboçava um cacarejo e ela voltava sem reclamar, debaixo das rédeas do vistoso animal: onde ele ia, a galinha repetia a mesma passada, ciscando sempre onde o "marido" ciscava e o pior, só bicava os insetos do solo depois do macho!
Outra cena semelhante aconteceu ainda nesta semana, quando eu voltava para casa: um casal de porcos vagueava pela rua, tudo bem que a fêmea seguia à frente, mas a cada vez que ela parava um pouco, o macho a cutucava por trás com o focinho, para que os dois não parassem.
E o caro leitor e a prezada leitora deverão se perguntar: sim, mas o que isso tem a ver com o feminismo?
Respondo que tem tudo a ver, pois a partir do momento em que muitas fêmeas da espécie humana passaram a achar que viver sob a proteção do macho era forma de subserviência e opressão, elas também passaram a perder o que tinham de mais bonito, que era a sensibilidade e a delicadeza, tornaram-se "machonas" e abrutalhadas, e por mais que neguem veementemente, não há feminista que, durante alguma noite de frio, ou mesmo na hora de trocar o botijão de gás, não tenha sentido a falta de um homem.
É claro que não é para o homem ser chato que nem o galo, fazendo a mulher comer somente depois dele, mas se é a própria natureza - obra de Deus - que fez o macho ser o protetor da fêmea, porque vamos contrariá-la?
Submissão - no bom sentido da palavra - não é demérito nenhum para as mulheres, isso é bíblico. E tampouco será o homem superior à mulher, que também tem o sagrado direito de viver do próprio sustento.

sábado, 19 de setembro de 2009

Cantigas politicamente corretas

São o cúmulo do mau gosto as famosas cantigas infantis politicamente corretas. Um símbolo dessas musiquinhas modorrentas é o famoso “Atirei o pau no gato”, que por passar uma mensagem de agressão aos animais, acabou caindo em desgraça nos modernos métodos educacionais.
Como não poderia deixar de ser, os hereges também têm uma versão da cantiga, na voz de uma conhecida cantora do gênero:

Não atire o pau no gato, to...
Porque isso, so...
Não se faz, faz, faz...
Jesus Cristo, to...
Nos ensina, na...
A amar, a amar os animais
Amém!


Agora uma perguntinha que não quer calar: se Jesus Cristo-to nos ensina-na a amar, a amar os animais, onde está isso na Bíblia?
Quer dizer então que o purgatório não existe e nem Maria foi mais Virgem porque tais expressões não constam nas Escrituras? Mas se Ele mandou amar os animais tem, não é?
Já não basta termos de suportar essas cantilenas chatinhas, politicamente corretas, ainda somos obrigados a suportar esse romantismo doentio travestido de “evangélico” que tira a coragem das nossas crianças?
Fui criado ouvindo o bom e velho “atirei o pau no gato” e nem por isso saí a dar pauladas nos bichanos, nem muito menos fiquei com depressão depois de ouvir que o “cravo brigou com a rosa”.
Até nas músicas infantis querem tirar a graça dessa fase!
Daqui a pouco vão querer proibir a criançada de tomar vermífugo e usar xampu contra as lêndeas, já que as lombrigas e os piolhos também são seres vivos.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Tempinho chato esse, não?

Esta não é a primeira vez que me queixo do politicamente correto aqui no blogue, e muito provavelmente não será a última.
Uma coisa me chamou a atenção há alguns dias, quando uma aluna minha, no auge dos seus dezesseis anos, em um debate que acabou surgindo durante a aula me falou:
“Professor, acho esse tempo atual muito paia. É muito cheio de frescura, ninguém pode dizer nada que os outros já se ofendem!”
Isso saiu depois que um outro aluno, já um cidadão de quase trinta anos, disse um termo politicamente correto para referir-se aos chamados deficientes em geral, “portadores de necessidades especiais”.
Respondi a ela que achava isso uma grande frescura mesmo, como grande frescura é chamar os que infelizmente são cegos e surdos de “deficientes visuais” e “deficientes auditivos”, respectivamente, ou mesmo dizer que não existem paralíticos, e sim “paraplégicos”.
Creio que “amenizar” os termos não trará a cura plena aos atingidos por alguma limitação, e que não é com palavrinhas carameladas que a inclusão se dará, pois tal coisa só ocorrerá quando o povo tomar vergonha na cara e ter respeito para com o deficiente.
Por que digo isso? Porque tenho uma irmã que é autista, e tanto ela como minha mãe, ao irem para o Hospital das Clínicas de São Paulo, sofreram com a falta de educação de muita gente no ônibus e no metrô.
Outra coisa politicamente correta que virou moda foi chamar negro de "afro-descendente", o que é uma grande bobagem, já que nem todos os povos africanos têm a pele escura, basta ver os árabes e berberes do norte da África. O Zinedine Zidane, que é branco e tem olhos claros, é tão afro-descendente quanto o Pelé.
Mais um eufemismo cheio de não-me-toques é dizer que concubinato ou amasiamento é "relação estável". Estável por quanto tempo? E isso sem falar nos ditos "casais" homossexuais. Ora, um casal é formado por duas pessoas ou animais de gêneros diferentes, nunca iguais! Isso é o básico do bom senso que é desprezado; diga-se dupla guey [por que não aportuguesarmos o vocábulo?] ou par guey, nunca casal.
Resumindo: vivemos numa época de chatice extrema, onde até o clero modernista deixou-se levar por essa onda, trocando o chamamento à conversão e a fuga do pecado, pelas musiquinhas carameladas de romantismo barato e solos de violão na santa missa.

- - - - - -

Paia: não sei se existe em outras regiões do país, mas a palavra paia, na gíria daqui do norte do Ceará significa, mais ou menos, algo ruim ou chato.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Isso aqui nem doideira é!

Tem certas horas em que uma porrada bem dada em alguém já seria o suficiente!
Eta povinho besta!
Existe num certo sítio católico (progressista, obviamente), uma pesquisa, digamos assim, bastante inútil. Pergunta aos leitores se os casais divorciados deveriam ter acesso à Eucaristia.
O que falar nessas horas?
Quanto tempo perdido! Quanta besteira! O que os padres andam fazendo, além de cantar, gravar disco, virar galã? Cadê os ensinamentos? Mataram a catequese?

http://www.universocatolico.com.br/index.php?/Poll-results/Pessoas-divorciadas-devem-ter-acesso-a-Eucaristia.html

Sentimentalismo iD10ta

Não há deuses humanos, e isso foi provado no último 5 de setembro, quando o time do Brasil venceu a seleção da Argentina em pleno estádio de Rosário, com Maradona de técnico e tudo. É lá em Rosário, inclusive, que existe a tal da "Igreja Maradoniana", onde os malucos pelo "D10s" têm uma verdadeira idolatria pelo eterno camisa 10 argentino.
Por falar em
sentimentalismo futebolístico, o time do Avaí, enquanto alcançava a marca de onze partidas invicto, tinha a "receita" para manter tal feito: a fé.


Lá vem aquela besteirada de "atletas de Cristo"... Que povinho humilde! Só que tudo o que sobe um dia desce:


Agora vem uma perguntinha que não quer calar: partindo-se do princípio de que o time do Avaí estava em plena ascendência na tabela do campeonato por fazer rodinhas de oração, então a equipe perdeu três partidas seguidas porque não fez mais as tais reuniões bíblicas?
Futebol não é nada do outro mundo! Se um time mediano - como é o caso do Avaí - chegou a ficar sem derrotas por um bom tempo, é lógico que ele não manteria tal marca, isso não tem nada a ver com Jesus, Genésio e nem muito menos com "missionário da bola" [desde quando existe isso?], é questão de se ter um bom elenco, saber jogar bola e evitar as derrotas, só isso.
E outra coisa: se um time for rebaixado para a Segunda Divisão, é porque nele só existem jogadores "incrédulos"?
Observação: D10s - D de Diego, 10, o número que o ex-craque e atual escroque usava e Dios é Deus em castelhano.

domingo, 13 de setembro de 2009

A presunção da salvação e Lutero

É bastante comum nos depararmos com gente que, enquanto se dizia católica, freqüentava lugares não muito recomendáveis, como um zonão do meretrício ou um bar, cheirava cocaína e fumava maconha, batia na esposa, nos filhos e no cachorro, lia revistas de mulher pelada e por aí vai. E isso porque só ia à santa missa de quando em quando.
Mas eis que um belo dia aparece um obreiro, ou mesmo um pastor, e faz a cabeça do cidadão: agora ele “aceitou” Jesus, virou “cristão”, vai ao culto todos os dias e lê a bíblia.
Agora que ele “aceitou” Jesus, tornou-se o juiz dos parentes que continuaram católicos, recusou a “idolatria”, a “mariolatria” e a “papolatria”, não se curva mais para aquela “rodinha de farinha”, já que “Jesus” está com ele diretamente, não precisa de intermediários.
Se ele cair em pecado de novo, não tem problema, pois se “aceitou” Jesus, por mais que os pecados do novo crente sejam bem cabeludos, Cristo já pagou por eles lá na Cruz!
Essa é uma idéia herdada do ex-padre Martinho Lutero, baseada naquela famosa frase:
“Sê pecador e peca fortemente, mas crê ainda mais fortemente.”
Quer dizer, se eu “aceitar” Jesus como meu Salvador pessoal, então Ele deverá fingir que não vê meus pecados, pois creio muito n’Ele.
É por essas e outras que muita gente tem aderido à religião protestante e renegando o batismo católico.
A Santa Igreja sempre ensinou, baseada nas Sagradas Escrituras, que não adianta dizer que crê na teoria mas não se crê na prática; ensina também que só nos salvaremos se fizermos por onde, se cumprirmos os mandamentos, se buscarmos os sacramentos, se fizermos o bem aos irmãos necessitados e se fugirmos das ocasiões de pecado.
Para os protestantes é justamente o contrário, basta “aceitar” Jesus e pronto! O cara já está salvo!
Lutero fez um estrago irreparável na teologia quando cunhou aquela frase infeliz, que gerou uma multidão de cristãos presunçosos, arrogantes e sem nenhuma humildade, que se afundaram ainda mais no pecado, achando que o “Jesus” deles fecharia os olhos para as falhas e os aceitaria numa boa.
Uma outra coisa a ser questionada é a idéia do “aceitar Jesus”. Como assim? Isso dá a impressão de que o “crente” presta um grande favor ao Senhor quando o aceita, até parece que o Salvador está mendigando para ter um fiel a mais.
É justamente o contrário: Ele é quem nos aceita, com nossas limitações e pecados! Tal colocação é absurda demais, sem fundamento.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

O “Ameriquistão”

Já andam a chamar a Europa pós-moderna de “Eurábia”, pelo grande aumento da população infiel por lá, ajudado não só pela imigração como também pelo aumento da quantidade dos filhos de imigrantes.
Nós daqui da América, todavia, não estamos imunes a esse mal da islamização, porque se a Europa cair, fatalmente a América tombará também, já que os princípios relativistas e anticristãos que regem o Velho Mundo são os mesmos daqui no Novo.
E se na virada de 2100 para 2101, com uma Eurábia já consolidada – que Deus não permita! – aqui virar um “Ameriquistão”?
Ora, se os líderes da Revolta dos Malês em Salvador (1835) queriam acabar com quaisquer vestígios de cristianismo e instaurar uma nação islâmica na Bahia, no século XIX, que dirão os chefes dos infiéis, neste século XXI?
Para finalizar, tomemos muito cuidado com os infiéis: enquanto fazem parte da minoria são simpáticos e dialogantes, mas quando assumem o controle da situação, mostram a verdadeira face, assassina e terrorista!
É nessas horas que cabe pedir a intercessão de Eulógio, Salomão e Rodrigo, os santos mártires de Córdoba, mortos pelos maometanos (século IX) durante a dominação dos infiéis na Espanha, para que nem a Eurábia nem o Ameriquistão surjam.
Muito menos o Brasilistão!