sábado, 28 de agosto de 2010

O bispo do capeta


-----------------------------------------------------

O evangelho dos filhos da mentira

Os homens querem servir a Deus e ao demônio!
São os filhos de Satanás que querem arrombar as portas do Céu para tomar o Reino de Deus!
Transformaram o Reino de Deus no reino da fantasia!
Idiotas são aqueles que crêem na falácia desses malditos!
Cristo, ó Cristo, onde estás Tu que não castigas esses desgraçados?!
Veja as almas que são arrastadas ao inferno, por culpa desses lobos!
Veja a inércia de teus sacerdotes!
Veja o Santo Padre! Por qual caminho ele quer conduzir a Barca de Pedro?
Cristo, ó Cristo, onde estás? Eis que existe o derramamento de sangue inocente!
Cristo, ó Cristo Senhor da Glória e Rei do Universo, por onde anda Tua Justiça?
Santíssima Mãe de Deus, ó Virgem Poderosa, rogai por nós, pecadores, estamos perdidos!
Onde estão os vossos soldados?
O que estou fazendo aqui parado?
O que estou fazendo sentado de braços cruzados?
O quê? O quê?
Os filhos da mentira estão altivos! Serão eles os vencedores?
Satanás se ri! Ri porque nós, que somos teus soldados, estamos parados!
A Terra de Santa Cruz quer derrubar o madeiro.
A Terra de Santa Cruz quer ser a terra da foice e do martelo.
A Terra de Vera Cruz virou uma ilha onde reinam a mentira, o escândalo e a maldade!
Os vendilhões do Templo sabem que podem comercializar a vida e a alma das pessoas porque não há ninguém como o Bom Pastor para expulsá-los!

Evandro Rodrigues Monteiro, 28 de agosto de 2010.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

"No Ceará não tem disso não"

Nunca uma música veio tanto na minha cabeça quanto “No Ceará não disso não”, gravada em 1950 por Luiz Gonzaga.
No imaginário de grande parte da população do Brasil, principalmente de Minas Gerais para baixo, o cearense é aquele fulano de cabeça chata e morto de sede cuja única motivação na vida é entupir (para não dizer “infestar”) as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.
Outro estereótipo que o cearense tem é aquela maldita idéia, reforçada por muitos cearenses infelizmente, de que no Ceará o povo é moleque, bem-humorado e receptivo, e que a comédia é algo inerente ao espírito coletivo dos nativos da chamada “Terra do Sol”.
Antigamente eu achava interessante quando passava, na televisão, aquele montão de comediantes, 95% cearenses, mas chega uma hora em que isso incomoda: dá a péssima impressão de que no Ceará é só isso mesmo, uma grande esculhambação, um povinho que não leva nada a sério, um bando de ignorantes cabeças-chatas que, sem ter água no sertão, vai “procriar” e multiplicar a chamada “sub-raça” nas terras do “Sul Maravilha”.
“No Ceará não tem disso não”, como diz a velha canção.
No Ceará tem gente trabalhadora e honesta, que não se resume apenas a contar piadas imorais e sem graça.
No Ceará não tem só bandas de “forró” com letras chulas e indecentes, tem artistas com músicas que, mesmo que muitas delas sejam antigas, podem ser ouvidas sem problema nenhum.
No Ceará não tem só terra seca, também há muito verde, como na Chapada da Ibiapaba, no Maciço de Baturité ou na Serra de Guaramiranga.
No Ceará não tem só gente ignorante, dele saíram pessoas como José de Alencar e Rachel de Queiroz: goste-se ou não do estilo deles, as obras que ambos deixaram influenciaram grandemente a literatura brasileira. Inclusive a Academia Cearense de Letras é a mais antiga de todas as academias do país (fundada em 1894), até mesmo a Academia Brasileira de Letras (fundada em 1897).
No Ceará não tem só energúmenos, tem também gente da qualidade de um Euclides Pinto Martins, aviador brasileiro, natural de Camocim, terra dos meus pais. O aeroporto de Fortaleza leva seu nome.
No Ceará não tem só gente da “cabeça-chata”, também tem negros, índios e brancos - até os de olhos azuis, entre os quais meu pai.
Nunca gostei daquela idéia de “orgulho gaúcho”, “orgulho paulista”, “orgulho negro” ou “orgulho nordestino”, pois acho isso uma baita frescura, mas às vezes me dá vergonha de ter sangue cearense, quando vejo elementos como um Tiririca da vida, que se candidata a deputado sem nem ao menos saber o que faz um parlamentar.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

O bizarro, o inacreditável!

O bizarro, o inacreditável!
Eleições obrigatórias só podiam dar em m...!
Depois que Clodovil (já falecido) e Frank “cãozinho dos teclados” Aguiar entraram na disputa por uma vaguinha na Câmara Federal e venceram, em 2006, agora em 2010 as eleições em São Paulo estão recheadas de “sub-celebrities”:
Tem ex-futebolista, ex-artista, ex-cantor, mulher-fruta, traveco, enfim, tem candidatos para todos os gostos.
Mas um caso que vem chamando a atenção é a candidatura de um famoso palhaço televisivo.
Abaixo está a entrevista com o dito cujo. Meus comentários estão em amarelo.

24/08/2010 - 03h00
'Não é piada, é a realidade', diz Tiririca sobre slogan de campanha
FERNANDO GALLO
DE SÃO PAULO
Francisco Everaldo Oliveira Silva, o palhaço Tiririca, 45, provoca risos e indignação desde que a campanha eleitoral começou na TV.
Com o slogan "Vote Tiririca, pior que tá, não fica"
(“É, realmente ninguém sabe onde é o fundo do poço”), ele vai às urnas para tentar uma vaga como deputado federal pelo Estado de São Paulo (“Poderia ser mais honesto e tentar pelo Ceará.”).
É a grande aposta do PR no pleito (“Quem terá sido o ‘crânio’?”), tanto que ganhou a legenda de mais fácil memorização: 2222.

Folha - Por que você decidiu se candidatar?
Tiririca - Eu recebi o convite há um ano
(“Quem terá sido o ‘crânio’?”). Conversei com minha mãe, ela me aconselhou a entrar porque daria pra ajudar as pessoas mais necessitadas. Eu tô entrando de cabeça.
De quem veio o convite?
Do PR.
Como foi?
Por eu ser um cara popular, eles acreditaram muito, como eu também acredito, que tá certo, eu vou ser eleito
(“Pela honra dos cearenses de bem que vivem em São Paulo, que esse aí não seja eleito!”).
Sabe o que o PR propõe, como se situa na política?
Cara, com sinceridade, ainda não me liguei nisso aí, não
(“Como é que a criatura entra num partido se nem ao menos sabe quais são as bandeiras da agremiação?”). O meu foco é nessa coisa da candidatura, e de correr atrás (“Atrás do que, criatura????”). E caso vindo a ser eleito, aí a gente vai ver (“Eu não quero nem ver!”).
Quais são as suas principais propostas?
Como eu sou cara que vem de baixo, e graças a Deus consegui espaço, eu tô trabalhando pelos nordestinos
(“Depois quando paulista fica com preconceito com nordestino, ninguém sabe o porquê.”), pelas crianças e pelos desfavorecidos.
Mas tem algum projeto concreto que você queira levar para a Câmara?
De cabeça, assim, não dá pra falar
(“Se esse estropício não sabe o que o partido defende, que dirá ter alguma idéia para lançar no Congresso...”). Mas como tem uma equipe trabalhando por trás, a gente tem os projetos que tão elaborados, tá tudo beleza. Eu quero ajudar muito o lance dos nordestinos (“Só se for lance de impedimento!”).
O que você poderia fazer pelos nordestinos?
Acabar com a discriminação, que é muito grande
(“Discriminação não se acaba numa ‘canetada’, num projeto de lei. Discriminação racial tem a ver com falta de educação e senso do ridículo. Eu digo isso porque mesmo sendo paulista, sou filho de cearenses e já cheguei a passar por essa situação.”) Eu sei que o lance da constituição civil (“Será que o lance da ‘constituição militar’ ele ao menos tá por dentro?”), lei trabalhista... A gente tem uma porrada de coisa que... de cabeça assim é complicado pra te falar (“Se ao menos souber que 2 + 2 são 4, tá beleza”). Mas tá tudo no papel, e tá beleza. Tenho certeza de que vai dar certo.
Quem financia a sua campanha?
Então... o partido entrou com essa ajuda aí... e eu achei legal
(“Será a TV Recópia?”).
Você tem ideia de quanto custa a campanha?
Cara, não tá sendo barata.
Mas você não tem ideia?
Não tenho ideia, não
(“Pergunto mais uma vez: como o infeliz entra numa ‘parada’ e não sabe como é o ‘lance’ dela?”).
Na propaganda eleitoral você diz que não sabe o que faz um deputado. É verdade ou é piada?
Como é o Tiririca, é uma piada, né, cara? 'Também não sei, mas vote em mim que eu vou dizer'. Tipo assim
(“Como professor de Português, tenho horror a esses vícios de linguagem”). Eu fiz mais na piada, mais no coisa (“E assim todo mundo fica ‘coisado’”)... porque é esse lance mesmo do Tiririca (“Repito: voto obrigatório sempre dá essa m... toda!”).
Mas o Francisco sabe o que faz um deputado?
Com certeza, bicho. Entrei nessa, estudei para esse lance, conversei muito com a minha mãe
(“E a senhora mãe dele foi ao menos vereadora lá em Itapipoca?”). Eu sei que elabora as leis e faz vários projetos acontecer, né?
O que você conhece sobre a atividade de deputado?

Pra te falar a verdade, não conheço nada. Mas tando lá vou passar a conhecer (“Ainda bem que, ao menos, é candidato a deputado, não a médico...”).
Até agora você não sabe nada sobre a Câmara?
Não, nada
(“Deve ao menos saber quanto é o salário lá, não é possível que não saiba disso...”).
Quem são os seus assessores?
Nós estamos com, com, com.... a Daniele.... Daniela
(“Pô! O cara é candidato e nem sabe direito o nome da assessora?”) . Ela faz parte da assessoria, junto com.... Maionese, né? Carla... É uma equipe grande pra caramba.
Mas quem te assessora na parte legislativa?
É pessoal do Manieri (“O Maurício, o cantor?”).
Quem é o Manieri?
É... A, a, a.... a Dani é que pode te explicar direitinho. Ela que trabalha com ele. Pode te explicar o que é
(“Essa assessora do Tiririca é quem deveria ter se candidatado, não ele.”).
Por que seu slogan é ‘pior que tá, não fica’?
Eu acho que pior que tá, não vai ficar. Não tem condições. Vamos ver se, com os artistas entrando, vai dar uma mudança
(“Se depender da classe ‘artística’ do ‘nóço’ Brasil varonil, o país ta f...”). Se Deus quiser, pra melhor (“Melhor pra quem, cara pálida?”).
Esse slogan é um deboche, uma piada?
Não. É a realidade. Pior do que tá não fica
(“Será?”).
Você pretende se vestir de Tiririca na Câmara?
Não, de maneira alguma.
Quem é o seu espelho na política?
Pra te falar a verdade, não tenho
(“Seria de se admirar se alguém que diz não saber patavina nenhuma de política, ter algum político como exemplo...”). Respeito muito o Lula pelo que ele fez pelo nosso país. Ele pegou o país arrasado e melhorou pra caramba (“Viva o ‘Nóço Líder’!”).
Fora ele...
Quem ele indicar, eu acredito muito
(“Então se o ‘Grande Timoneiro’ indicar que o Tiririca deve pular da ponte, ele pula?”). Vai continuar o trabalho que ele deixou aí.
Então você vota na Dilma.
Com certeza. A gente vai apoiar a Dilma. Ele tá apoiando e a gente vai nessa
(“Se o cacique-mor do nosso Brasil apoiar o capeta, o palhaço também apóia?”).
Não teme ser tratado com deboche?
Não, cara. Não temo nada disso. Tô entrando de cabeça, de coração. Tô querendo fazer alguma coisa. Mesmo porque eu sou bem resolvido na minha profissão. Tenho um contrato de quatro anos com a Record. Tenho minha vida feita, graças a Deus. Tem gente que aceita, mas a rejeição é muito pouca.
Se for eleito, vai continuar na TV?
Com certeza, é o meu trabalho. Vou conciliar os dois empregos.
Em quem votou para deputado na última eleição?
Pra te falar a verdade, eu nunca votei. Sempre justifiquei meu voto
(“Você que é de São Paulo, faça como o Tiririca: justifique seu voto, deixe de votar!”).

O que dizer disso? Nada! Senão escapa um palavrão bem cabeludo.
E também não adianta
querer impugnar a candidatura do Tiririca, pois se a classe política se desse ao respeito, aberrações como essa jamais aconteceriam.
E outra: ainda vivemos num país democrático ou não? Se o dito cujo tem o direito de se candidatar, cabe à população evitar ou não que o Congresso continue sendo o grande circo que sempre foi.
Resumindo: realmente, a piada perdeu a graça faz muito tempo...

Disponível em:
http://www1.folha.uol.com.br/poder/787678-nao-e-piada-e-a-realidade-diz-tiririca-sobre-slogan-de-campanha.shtml

E esporte tem classe social?

Num vídeo da internet, o cacique-mor da Nação, acompanhado pelo governador do Rio, disse a um jovem interessado em jogar tênis que tal esporte é coisa da “burguesia”.
E esporte tem classe social? Desde quando esporte tem classe social?
Se o tênis é considerado um esporte da “burguesia”, o que impediria um governo auto-denominado “popular” de transformá-lo em esporte do povão?
O presidente, que é um futebolista de marca maior e que sempre coloca o futebol em qualquer besteira que fala, deve ignorar que o chamado “esporte bretão”, lá nos primórdios aqui no Brasil, era uma atividade só para ricos e “brancos de olhos azuis”, sendo que mulatos e negros não tinham vez.
Se um jovem morador de uma favela tem perto da casa dele algum complexo esportivo, o que o impediria de praticar um esporte mais sofisticado?
Basta vontade política: se ficar na mesmice, então pobre só serve para aprender batucada em barril de petróleo ou jogar futebol?
Se a obra existe, por que ela vive fechada? Só para ocupar espaço e angariar votos?
Já não vemos, atualmente, jovens interessados em melhorar a vida e quando aparece um, ele é chamado de “otário” pelo governador?


Para ver o vídeo do cacique federal e do fluminense, acesse:
http://www.youtube.com/watch?v=VnRAIKplkoc

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

A lata do marrom glacê estragado

O apóstata do marrom glacê diz que a conversão dele à Igreja Católica é mentira, não escondeu a cara e pediu perdão aos irmãos batistas pela farsa mantida durante muitos anos.
Quem garante que foi uma lata de marrom glacê? Poderia ter sido goiabada cascão, rapadura, bananada ou, pelo jeito, uma grande e azeda marmelada.
Mas e a personagem principal da conversão de mentirinha, a filha do dito cujo, vai ficar quieta?
Eis o que ela teria dito ao pai, quando da “conversão” dele ao catolicismo:
“Pai, o senhor vai para o inferno e vai levar os meus irmãos e minha mãe juntos. Sempre o senhor disse que a Igreja Católica é coisa do inimigo”.
E aí? Será que ela vai aparecer algum dia e contar o que realmente aconteceu?
Será que vai manter as palavras dela publicadas na revista do agora falecido D. Estêvão?
Ou vai mostrar a cara também, e ficar com aquele jeitão de “Madalena arrependida” e dizer que fez tudo aquilo “sem querer, querendo”?
Texto completo da versão da “menina do marrom glacê” na página do Prof. Felipe Aquino na internet, a Cléofas.
Aliás, por que ninguém da Século 21 (onde o dublê de Pinóquio tinha um programa) ou da editora do Prof. Aquino (Cléofas), ainda não se manifestou a respeito?

terça-feira, 17 de agosto de 2010

A "Eurábia"

Eurábia
Eurábia é um neologismo assentado na previsão duma Europa onde a cultura dominante não seja a ocidental, e sim a islâmica, e na qual a imigração multiplique os adeptos desta religião. Este conceito foi desenvolvido por Bat Ye’or e popularizado recentemente por Oriana Fallaci.
Segundo esta teoria, esta nova Europa teria começado a se desenhar após a
crise do petróleo dos anos 1970, que teria obrigado os governantes europeus a fazer concessões aos países extratores árabes. Estas concessões incluiriam:

=> Uma política exterior conciliada com os países árabes, em oposição aos Estados Unidos da América e Israel.
=> A entrada da
Turquia na União Européia.
=> A abertura à imigração procedente dos países muçulmanos.
=> O repúdio à menção das raízes cristãs da Europa na
Constituição Européia.
=> A defesa da compatibilidade entre o Islã e a democracia.
=> A idealização de certos períodos da história européia, como
Al-Andalus, enquanto se repudia a Reconquista ou a Colonização da América.
=> A adoção do
relativismo cultural, com a aceitação da poligamia.

Fonte:
Wikipedia.

____________________________________________________

"Lá vou eu": se porventura a Europa realmente sucumbir a essa catástrofe, veremos na Copa de 2054 as seguintes escalações das seleções de França e Alemanha:

ALEMANHA: Mehmet, Ertogrul, Hassan Diuf, Suleyman, Sharif, Johann Haussmann (o único titular de raça germânica), Bin Khalifa, Othman, Şas, Selim e Mustapha.

FRANÇA: Issa, Ali Muhamed, Hussein, Youssef Mandinga, Khaled, Yasser, Talal, Yves De La Croix (algum negro originário do Caribe), Ibrahim e Hassan.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

"TU O DIZES!"

Leiam as palavras abaixo:

"A maior fraqueza nossa é o fato que a grande maioria dos católicos desconhecem [sic] a sua Fé. Ah! Se estudassem as verdades de sua Fé com alegria diriam: 'Sou Católico Graças a Deus'. As seitas fechariam suas portas".

"Só sai [sic] da Igreja Católica os maus católicos, isto é, os que não conhecem a Fé Católica. Casos excepcionais são problemas de ordem moral".

"Tu o dizes", Seu Francisco.

Fonte:
ARAÚJO, Francisco Almeida. Questões de Fé de A a Z. Anápolis, CMIC, 1996.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

O doce amargou

Foi com grande espanto que vi circularem na internet, já há algum tempo, boatos sobre a volta do "diácono" Francisco do Marrom Glacê ao protestantismo.
E foi com mais tristeza ainda que vi um vídeo onde o dito cujo, com aquele ar de "madalena arrependida", chega e fala simplesmente que a história do marrom glacê era mentira!
Como assim, cara pálida?
Eu o vi, num evento da RCC em 1997, relatando a miraculosa história do doce, que foi decisiva em sua conversão ao catolicismo, e agora o vejo num vídeo da internet onde o senhor desmente o ocorrido?
Que se passa, "velho Chico"? Quantos programas seus eu assisti na Século 21, mesmo depois de eu ter deixado a RCC, e agora o senhor cospe no prato em que comeu?
Se envergonhou daquilo? Mas como? Ganhaste fama no meio católico com aquela historieta adocicada, com certeza tiraste um bom lucro financeiro com os livros que vendia...
O mais "engraçado" nisso tudo é que agora esculhambas a tua antiga fonte de riqueza e vociferas velhas e batidas acusações contra o catolicismo.
Acusas os padres que sabiam da mentira por não terem revelado? Acusas agora porque é mais conveniente!
Que vergonha, que decepção!
Agora pergunto: que garantias que esse senhor me dá, ao afirmar que a Bíblia é a palavra de Deus? É o testemunho de um apóstata e um herege, logo, não tem crédito nenhum.
Não sei o que é pior, se o "teólogo" ex-ex-herege, ou se os dois jovens que mostraram a cara para fazer parte desse circo.

__________________________________________

Fonte desta postagem: blogue Tradição Católica, da Teresa.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

As feministas

As feministas... como descrevê-las? Como um bando de frustradas porque a “Mãe Gaia”, a nova deusa de um paganismo antigo, ousou fazê-las mulheres? Frustradas porque vêem que a tal de Mãe Natureza fez o corpo do homem mais “forte” e os delas, mais “frágil”?
Ou será porque lhes foi imposta, pelo cosmos, por Gaia ou mesmo pela Pacha Mama, que todas as fêmeas deveriam gerar a vida, por meio daquele estorvo a que dão o nome de útero?
Como deverá se encher de júbilo uma feminista quando, na tevê, ela assiste mais uma reportagem sobre mulheres que desempenham funções tidas como masculinas, tais como borracheiras, pedreiras, seguranças, lutadoras de boxe.
Como deverá ser mais alvissareiro para as feministas ao verem que o homem se “sensibilizou” e perdeu sua noção de protetor da casa, passando a se preocupar mais em ajeitar as sobrancelhas, passar base nas unhas ou em colocar implante de silicone nos peitos, para dar aquele efeito “sarado” sem precisar malhar na academia.
Geralmente as feministas são solteironas, até porque não precisam de “macho” nenhum para lhes fazer companhia, e raramente têm filhos. Aliás, pode ser até considerado um milagre se existir alguma feminista, esposa e mãe ao mesmo tempo.
“Filhos para quê?”, ensinam as feministas, “filhos só atrapalham a carreira da mulher moderna, ‘empata’ a vida da cidadã por nove longos meses, é melhor tirá-los do ventre, como se faz com os vermes!”
Católica? Que nada! As feministas só serão católicas de verdade quando “aqueles velhinhos” do Vaticano lhes derem o direito de decidir o que fazer com o corpo, afinal, o corpo é delas, que se dane se alguma companheira tiver um filho no ventre, esse menino só faz atrapalhar. Como é que a trabalhadora vai protestar contra “tudo isso que está aí” ou o “sistema da zelite”, com aquela barrigona? E se a polícia vier bater? Como a companheira vai correr com aquele menino xexelento no bucho?
Algumas feministas são lésbicas, até porque os homens não sabem nada sobre a arte de “amar”. É por isso que, quando algumas feministas resolvem desencalhar, elas procuram uma “igual”, uma mulher mesmo, já que homem é tudo machista e não tem a sensibilidade de dar “amor” a uma companheira.
Resumindo: as feministas, na verdade, são mais machistas que os próprios machistas, pois vivem numa estéril disputa sobre quem é o mais forte no reino animal.

Isto é cristão?

Ajoelhar-se perante o sacrário que guarda Cristo Eucarístico é absurdo.
Ajoelhar-se perante a imagem da Mãe de Deus é idolatria.
Agora, ajoelhar-se diante de um rio é o quê?

“No ano passado, quatro mil pessoas durante o Intereclesial das CEBs “ajoelharam-se, pedindo perdão frente às enormes barragens para usinas hidroelétricas no rio Madeira”.

Pedir perdão àquele “velho barbudo” é errado, mas pedir perdão ao Rio Madeira por causa das obras de uma hidrelétrica não?
Quem é a Divindade: o Criador (Deus) ou a criatura (o Rio Madeira)?
Cuidado! Isso não é defesa do meio ambiente coisa nenhuma, é o culto panteísta das coisas da natureza!
Resumindo: trocaram o Deus Eterno, Pai de Justiça e de Misericórdia, Criador de todo o Universo e tudo que há nele, pela criatura, no caso, a natureza ou, como muitos gostam de chamar, “Mãe Gaia”.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Podem me chamar de "reaça"...

Vejam a foto abaixo: é um casal "misto".
A minha digníssima "patroa" (morena, parda...) e eu (branco).
Ela possui características físicas das ditas "minorias", pois tem traços indígenas e, principalmente, africanos. Logo, na nomenclatura oficial, seria uma "cafuza"; no meu caso, sou de origem portuguesa, ainda que tenha remotos ancestrais africanos e muito provavelmente alguma ascendência judaica.
Entretanto, os politicamente corretos demonizam quem é homem, heterossexual, branco e católico como eu.
Pessoas como minha esposa - mulher, negra, digo, afro-descendente - são consideradas as coitadinhas da sociedade moderna, explorados pelo "sistema" opressor, que estando na América desde 1492, só fez exterminar índios e escravizar negros.
Ser branco virou motivo de anátema.
Ser católico é o mesmo que ser "escravo do papa".
Dizer que é heterossexual significa dizer que é "homofóbico".
Se os movimentos negros gostam de exaltar aquele pulha do Zumbi, por que eu não poderia me orgulhar de ser branco, católico e heterossexual?
Sabem por que digo que Zumbi era um pulha? Porque ele não era libertário porcaria nenhuma, ele tinha tantos escravos quanto um senhor de engenho qualquer.
Por falar em escravidão, os antigos egípcios eram negros e chegaram a escravizar os hebreus, que eram brancos, e nem por isso o atual Estado de Israel fez alguma petição solicitando ao governo do Egito algum tipo de reparação.
Quando vejo que o atual governo do Brasil investe pesado na divisão da sociedade brasileira por raças, tem-se a impressão de que todo branco é rico e todo negro é pobre.
Nesta sociedade hipócrita onde ser sodomita, onanista e lésbica é glorificado, onde ter orgulho de ser negro dá direito a alguma coisa, onde índio pode atacar qualquer não-índio impunemente e onde comuna de sacristia invade terra alheia, por que cargas d'água eu, mero cidadão trabalhador, não poderia exaltar as qualidades de ser católico, luso-descendente e hetero?
Podem me chamar de "reaça", mas se é para combater essa barafunda que virou o Brasil, sou reacionário mesmo!

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

"Lindos e santos"? Não! Porcos e urubus!

O que o Mons. Jonas Abib tinha na cabeça quando afirmou que os protestantes são "lindos e santos"? O que esperar de seitas que saíram da revolta de um padre de péssima conduta, fanfarrão, glutão e beberrão como Lutero?
Ao ver os comentários no blogue do Baú Gil, existe a prova provada de que muitos protestantes são mal-educados, pois entraram numa discussão onde sequer foram convidados.
Se os católicos deixaram comentários revoltados contra as desrespeitosas palavras sobre o Santíssimo Sacramento, por que os hereges ficam comentando também? Eles não acreditam na presença real de Cristo na Eucaristia, por que escrevem tanta coisa idiota por lá?
O protestantismo, além de ladrão, é "porco" e "urubu", pois se aproveita da situação para destilar todo o veneno anticatólico, e fica sempre repetindo aquelas velhas e surradas estorinhas para atacar a Igreja, fora as piadinhas preconceituosas e mais blasfemas do que a própria piada sem graça nenhuma do tiozinho do "paralelepípedo".

Ao ímpio profeta

Ó ímpio, tu não passas de um falso profeta de meia pataca
És louco e insensato, por que usas meu Santo Nome em vão?
Mas essa sua ganância desmedida a todos os fiéis ataca:
Enganas a muitos usando e abusando do nome “cristão”!

Atacas a minha Igreja, dizendo-se meu apóstolo e servo
E os pobres ignorantes acabam caindo na sua lábia
Meu rebanho é coisa que Eu amo, guardo e preservo
Mas quero vê-lo enganar aos incautos lá da Arábia!

Sua seita me dá nojo, ela é mais uma sinagoga de Satanás
E és tão falso profeta quanto Simão, Nestório e Lutero
Podes ter tudo de bom nesta vida, mas nunca terás paz
Pois “servos” como tu são trastes que Eu não quero!


Evandro Rodrigues Monteiro, 21 de julho de 2010.

-----------------------------------------------------------
Texto baseado no novo projeto megalomaníaco do “bispo”:

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Avante, cristeiro!

Avante, cristeiro, é hora de marchar!
O inimigo se aproxima, não podemos parar!
Ergamos nossas espadas – do Evangelho e de metal
Combatamos os infiéis que querem o nosso mal!

Cristeiro, eis que é chegado o grande momento
Em cujos tempos não mais poderemos cochilar
Se não nos defendermos, seremos transformados
Em peças de museu, pelos ateus visitados.

Combatamos,
Não só por nós, mas pela Santa Igreja
E por Cristo Rei, Senhor da Glória benfazeja
Sob as bênçãos de Maria, que nossos esforços deseja!


Cristeiro, se aproxima a nuvem de purpurina,
Embaça a nossa visão, qual grande neblina,
E o espírito de morte assola a sociedade,
Preferindo o aborto à verdadeira solidariedade.

Cristeiro, querem acabar com a família
Transformando-a em mero contrato
A família de pai e mãe o relativismo humilha:
Quer que o gueyzismo seja a família de fato!

Deixemos os hereges, cristeiro, que não fazem falta
Sigamos o Santo Padre e confiemos em Deus
Não ouçamos os comunistas,

os maometanos e os judeus!

Cristeiro, "só Cristo salva",

pois Ele é o Senhor da Vida
E que é o Filho único da Virgem Maria,

Nossa Mãe querida!

Evandro Rodrigues Monteiro, 02 de agosto de 2010.

domingo, 1 de agosto de 2010

Jamais Cervantes teria imaginado tal dupla...

Diego Maradona e Hugo Chávez, a versão latino-americana da dupla criada pelo espanhol Miguel de Cervantes, Sancho Pança e Dom Quixote de la Mancha.
Nunca Cervantes imaginou que fosse existir uma dupla tão certa para "encarnar" os personagens.
Pior para o argentino, que foi se encontrar com o caudilho de Caracas justamente no dia em que a Venezuela rompeu relações diplomáticas com a Colômbia. Talvez com isso Don Dieguito venha a se tornar persona non grata em Bogotá.