sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Como é, Cidão?

A maioria dos professores da rede estadual de ensino do Ceará está em greve, por melhores salários e por uma valorização da profissão.

Enquanto isso, o Exmo. Sr. Governador Cidão teria soltado a seguinte “pérola”:

“Quem quer dar aula faz isso por gosto, e não pelo salário. Se quer ganhar melhor, pede demissão e vai para o ensino privado, eles pagam mais? Não. O corporativismo é uma praga no meu ponto de vista”.

Ah, deixa eu ver se entendi, Sr. Cidão: quer dizer que quem ensina, ensina por gosto? Ensina porque quer e por isso pode receber qualquer merreca que tá bom demais?

O sofressor, digo, o professor, é tão profissional quanto qualquer outro e, sinceramente, porque o governador então não deixa de receber o salário dele para governar o estado “por gosto”?

Se os professores fizerem o que o Cidão disse, as escolas em todo o estado ficarão vazias!

Eu, como professor (temporário) da escola estadual, me senti grandemente ofendido, pois encaro as desventuras de enfrentar alunos desinteressados e desobedientes, além de receber cobranças que vêm de cima, com mil planos e projetos, sequer dando tempo de repassar o conteúdo programado para o ano letivo.

Nem na época em que era funcionário terceirizado da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), quando trabalhava na cabine seccionadora da estação de Engenheiro Manoel Feio (Itaquaquecetuba-SP) me achei tão desvalorizado!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Piada de grego ou de português? Não, de brasileiro!

Dois eventos esportivos realizados em 2004 ainda têm seus efeitos: Portugal e Grécia sediaram a Eurocopa e a Olimpíada, respectivamente; coincidentemente, são países que sofrem com a crise econômica.

Estádios construídos para sediarem esses eventos estão às moscas, dando prejuízo.

Se o Brasil fosse um país sério, se emendaria e evitaria sediar a Copa e a Olimpíada, mas como aqui o povo é molenga, é muito frouxo e tem pensamento de “novo-rico”, que se exploda, o que vale é o “Brasil Potência”... parece que não aprendeu com o Pan de 2007 no Rio de Janeiro.

Por exemplo: construíram o estádio do Engenhão que vive sempre com queda de energia, e reformaram o veterano Maracanã, que já há algum tempo está sob nova reforma.

É muito dinheiro PÚBLICO jogado fora.

E outra: que o Brasil não pense que só porque é uma das maiores economias do mundo que dá para se fazer de tudo, pois essa crise grega teve, como uma de suas principais causas, a realização dos Jogos Olímpicos de Atenas! E isso foi em 2004!

Esqueçam essa estorinha de “Brasil-grande”, “Brasil líder dos emergentes” ou um suposto “G-9”! Enquanto houver corrupção política e povo bundão e alienado, esta droga de país continuará sendo o que sempre foi desde 1500: uma terra exótica, habitada por gente selvagem e cuja única função é ser o eterno bordel do mundo (para não dizer outro nome).

Vamos liberar mesmo?

Tem quem queira liberar a maconha...
Ora, mas se em muitos casos, quem é viciado em drogas pesadas começa, justamente, pela maconha!
Leiam a seguinte notícia: Flautista pede ajuda contra o crack em avenida-movimentada de São Paulo.
Faço minhas as palavras de um leitor do jornal:

“Tudo começa com essa merda!!! E ainda tem doentes que defendem o comércio legal desse bosta sob o argumento de diminuição do tráfico, quando na verdade é para sua comodidade de não ter que ir buscar o 'bagúio' na boca de fumo e correr o risco de ficar sem a grana, e ainda tomar uns tapas na cara dos traficantes.”

domingo, 7 de agosto de 2011

Até tu, D. Aldo?

Foi com grande decepção que li recentemente no blogue Pacientes na Tribulação que o arcebispo da Paraíba, D. Aldo Pagotto, invocando o super-concílio Vaticano II, escreveu o prefácio de um livro espírita.
Em nota da arquidiocese o mesmo D. Aldo escreve:

"Em conformidade com as diretrizes do Concílio Vaticano II eu sempre exercitei o diálogo ecumênico e inter-religioso".
E não é a primeira vez em que D. Aldo prestigia um evento kardecista!
Caramba, eu estou começando a pensar que é uma enorme perda de tempo ficar blogando pela Igreja! Se os bispos e o papa, que são os pastores do rebanho, não se preocupam com a evangelização, por que eu, um simples leigo, devo me preocupar?
Como anunciar a verdade aos hereges e pagãos se os próprios sucessores dos Apóstolos se encarregam de atrapalhar a evangelização?
Os condutores da Igreja deveriam, portanto, parar de dizer que nossa instituição tem 2.000 anos de existência, e sim que ela tem somente cinqüenta anos, quando o "papa bom" João XXIII resolveu escancarar as portas da Igreja para os ventos soprarem alguma poeira do trono de Pedro. Quanto àquela Igreja que foi de São Pedro até Pio XII, sei lá... Não sou sedevacantista (e nem pretendo ser!), mas a tentação de desistir da luta é muito grande.

sábado, 6 de agosto de 2011

Renovação em excesso faz mal!

Vocês, prezados leitores deste blogue, já pararam para pensar que, quando uma coisa boa, se tomada em excesso, vira uma coisa ruim?
Tomemos o cálcio, por exemplo: ele é importantíssimo para os nossos ossos, mas se ele existe em quantidades exageradas pode fazer mal à saúde.
Ou o açúcar, que bem dosado faz qualquer suco de limão ficar delicioso, mas se ele tiver em demasia estragará o negócio.
Assim também é a Igreja: um termo bastante usado, principalmente depois do super-ultra-hiper-mega-infalível Concílio Vaticano II, foi RENOVAÇÃO.
Renovação da visão de mundo, renovação nas relações com infiéis, hereges e ateus, renovação na estrutura eclesiástica, etc.
Muitos setores da Igreja acabaram espantando os fiéis, fazendo esses mesmos fiéis se converterem às seitas justamente por causa desse palavrório pomposo ("renovação", "igreja dos pobres", "igualdade", etc.).
Poxa, a maioria do povo já é pobre, e lá vêm esses "comunistas de sacristia" vir falar em pobreza?
E daí que Cristo era pobre? Que eu saiba, Ele andava com os pobres, com os "marginalizados pelo sistema" mas também com gente endinheirada. E a sepultura d'Ele era novinha, "zero quilômetro", sendo que Ele foi enrolado numa mortalha de linho.
O mais interessante é que, quanto mais se fala em renovar, mais velhos e carcomidos ficam esses movimentos.
Pergunto: renovar alguma na Igreja é preciso? Se algum tipo de renovação for feito sob moderação, sem exageros nem "novidades do outro mundo", por que não? Mas renovar só por renovar, já mostra fraqueza de opinião, falta de convicção e o pior, mostra que a Igreja tem prazo de validade!
Se a cada geração a Igreja precisar ser renovada, ela vai ficar a cara daquela tiazinha plastificada, a tal de Jocelyn Wildenstein (foto abaixo).

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Quando a segurança vale menos que a natureza


Você já ouviu falar da praia de Jericoacoara? Ela é um dos maiores pontos turísticos do estado do Ceará.

Por ser um lugar ainda exótico, e por ser uma área de parque nacional, existe uma regra que diz que, para não alterar a paisagem, a instalação de postes de iluminação é proibida, pois descaracterizaria a paisagem.

Aí quando a noite vem, muitos becos de Jericoacoara são verdadeiras armadilhas, principalmente para as mulheres, pois quem vai se arriscar a andar de noite pelas ruas do lugar?

Quem vai se arriscar a sair de casa depois do anoitecer?

Enquanto isso o povo, em nome da “ecochatice”, fica à mercê da bandidagem (assaltantes, estupradores e traficantes).

Então por causa da falácia da proteção ao meio ambiente, a população que se dane?

Sou professor do anexo da escola estadual e diversas alunas já haviam comentado sobre o perigo de voltar para casa depois das dez da noite. Realmente é muito esquisito.

Diversas vezes ouvi falar que Jeri é a “menina dos olhos” do governador. Pois que ele faça jus a isso, pois quem vai querer conhecer um lugar onde o turista e a população local andam com medo?

Não seria possível ao menos um meio-termo, não teria algum jeito de iluminar as ruas de Jeri de alguma forma?

Vamos colocar a mãe natureza e as dunas de Jericoacoara acima dos turistas (que deixam dinheiro na economia da região) e da população?

“Allahu akhbar” outra vez?

Novidade, novidade!

Explosão fere ao menos 15 em igreja católica siríaca no Iraque.

O islamismo é a “religião da paz”, né? Sei, sei...

E ainda assim, com bomba, facada, escravização, estupro e tortura, o papa irá receber essa gente amaldiçoada em Assis!

“Deus é grande” realmente, mas às vezes a impressão que se tem é que Ele parece distante e calado, com tanta perseguição, tanto sangue derramado, e que Maomé (que o castigo de Cristo Rei caia sobre o infame!) está morrendo de rir, sentadinho no colo do capeta.

Sobre o silêncio de Deus, a Palavra diz:

“E clamavam em alta voz, dizendo: Até quando tu, que és o Senhor, o Santo, o Verdadeiro, ficarás sem fazer justiça e sem vingar o nosso sangue contra os habitantes da terra? Foi então dada a cada um deles uma veste branca, e foi-lhes dito que aguardassem ainda um pouco, até que se completasse o número dos companheiros de serviço e irmãos que estavam com eles para ser mortos.” (Apocalipse 6, 10s)