quarta-feira, 2 de julho de 2008

A Velha Canção Morna

“Conheço as tuas obras: não és nem frio nem quente. Oxalá fosses frio ou quente! Mas, como és morno, nem frio nem quente, vou vomitar-te.” (Apocalipse 3, 15s)

Não sei não, mas a cada dia que passa, tenho a mais absoluta certeza de que a Canção Nova é morna.
O tempo passa e surgem mais e mais críticas a ela, porque consegue conciliar o inconciliável, pois promove encontros ecumênicos com hereges, concursos de danças, músicas melosas, imprudentes momentos de “cura e libertação”, e assim por diante.
O mais intrigante nos canção-novistas é a passividade deles ao receberem críticas dos inimigos da Santa Igreja, principalmente dos protestantes, que blasfemam contra a Virgem Maria e Cristo Eucarístico, e caluniam o Santo Padre.
Mas vai alguém ousar criticar, ainda que de leve, a RCC, a Canção Nova ou principalmente o Mons. Jonas: cutucou a ferida!
Vão jogar na cara que foi a Canção Nova que resgatou milhares de almas para Cristo, que curou e restaurou famílias desestruturadas, libertou muitos jovens das drogas e da prostituição...
Teve um padre agora de manhã, dizendo que “um espírito de morte ronda a vida das pessoas”, levando-as a cair em pecado e a viver nos vícios, e que elas “deveriam assumir a autoridade de cristãs e barrar toda a ação do demônio” - esse linguajar é bastante usado pelos pentecostais protestantes ("autoridade", "tomar posse da graça", etc.). Outro princípio defendido por esse sacerdote é que quando a nossa vida está difícil, seja uma doença, desemprego ou outra razão, é porque o “demo” está de posse dela! Um padre dizer tal absurdo é terrível, pois acaba criando um clima de terror nos fiéis.
Outra coisa inaceitável na CN foi a horrível profanação do Santíssimo Sacramento, naquela dancinha judaizante, pagã e/ou herética, com os bailarinos e o padre (!!!!!!) numa lastimável irreverência com o Corpo de Cristo.
É a chamada “evangelização com novo ardor missionário”, conforme o pedido de João Paulo II, tão rígido numas coisas, porém tão frouxo em outras.
E dá-lhe “Revolução (!!!!!) Jesus”, “PHN”, cristotecas, blá- blá- blá carismático durante a missa (de “cura e libertação” obviamente), teatrinho de bonecos no altar-palco, e por aí vai. Alguns "cérebros de minhoca" já inventaram até o Cristo Fitness (!!!!!!!!!!!!)...
Podemos ver a mornidão dos canção-novistas:

Acampamento de Carnaval (!) na Canção Nova tem Carnaval Kids.
Sábado, domingo, segunda e terça-feira tem uma programação especial para as crianças no Instituto Canção Nova.
Às 9h a acontecerá a Santa Missa celebrada pelo o Pe. Francisco, que terá a participação dos bonecos da Turma da Arca.”
(!!!!!!!).
Disponível em:

Plagiando Caifás, "Que necessidade temos ainda de testemunhas"? (Mt XXVI, 65)

Eles não medem esforços em inovar para conquistar, além de cair num protestantismo muito mal disfarçado, que por mais que eles falem em Nossa Senhora, papa e bispos, sempre terá aquele ranço de pentecostalismo e espiritualidade sentimentalóide, preferindo agradar a todos os públicos, para conseguir audiência.
Por incrível que pareça, até o Pe. Eduardo Dougherty, grande nome da RC“C”, é muito mais equilibrado do que muito leigo sabichão e metido a curandeiro que prega na CN!
E não adianta falar da aprovação dos estatutos da CN pelo papa, porque um dia João Paulo II chegou a dizer que a Teologia da Libertação era necessária, e depois a combateu.
Espero que o papa, o atual ou o próximo, enxergue a grande confusão que a Canção Nova causa nas vidas e nas almas das pessoas.

2 comentários:

Adoradores em Espírito e em Verdade disse...

Querido irmão, Graça e Paz!
Pelo pouco que conheço dos mistérios de Nosso senhor Jesus Cristo, fundador da única e verdadeira Igreja, esta foi fundada para promover a vida e a tão chicoteada RCC, citando até Caifás(Ele não foi um dos "juízes" de Nosso Senhor?), tem promovido a vida.Apesar de não estar dentro delas mas as obras sociais da RCC hoje não são escondidas.Quantas comunidades terapeuticas, aprovadas até mesmo pelo Ministério da Saúde, têm tirado pessoas das drogas, pessoas que, pela tão julgada experiência do Batismo no Espírito Santo(è esse o nome Bíblico) têm sua vida mudada pelo simples e transformador encontro com Nosso Senhor, o Nazareno que nem Latim falava e condenava os ritos cheios de beleza e vazios de verdadeira Adoração, ministrados no templo de Jerusalém.
Quem te escreve ama a Missa Tridentina e Ama a Missa dita Carismática, porque Crê na Eucaristia instituída numa sala simples de jantar, com homens simples que, sentados em torno de uma mesa, tiveram a maior experiência espiritual da história, comungaram o Deus Vivo!
se vamos condenar os judeus, matemos novamente Jesus, o judeu praticante, se vamos dividir a Igreja e incitar as pesoas até contra decisões Papais, que pensemos direitinho em nossos conceitos de heresia...
Fica no Amor da Virgem Santíssima, Salve Maria!

Evandro disse...

Caros adoradores, sejam muito bem-vindos! Antes de mais nada gostaria de agradecê-los pela visita.
O culto para Deus deve ser feito com respeito, humildade e recolhimento, não com gritaria, palminhas e bateria, e Nosso Senhor Jesus Cristo não criticou o culto do Templo em si, mas a conduta dos judeus daquele tempo. Do mesmo modo a nós cristãos, que muitas vezes preferimos o barulho ao silêncio, escolhemos mais a algazarra de um acampamento de carnaval e nunca rezamos um terço pelas almas que se perdem, todos os anos, pondo os pés no inferno durante esse período!
Obras sociais são louváveis, e ninguém aqui diz que não se deve fazer, mas caridade por si só não é sinônimo de santidade, pois os espíritas, os protestantes e até os infiéis do Islã também têm as suas obras sociais.
Para ser católicos não precisamos copiar nem o modelo do mundão nem o dos hereges!
No mais, fiquem com DEUS e Nossa Senhora!