sexta-feira, 25 de junho de 2010

Alma lusa

A ti, Mãe Pátria, quero louvar
com o sangue de minhas veias.
De ti, Lusitânia, quero falar
paixão que ao coração incendeia.
Quando ouço "Portugal" eu tremo,
pois é a terra dos meus ancestrais
está nas terras do Ocidente extremo
erguida sob grandes e nobres ideais.
Lugar de brava gente aventureira
que os mares revoltos desbravou
levando ao gentio a fé verdadeira
à gente do ultramar o luso pregou.
Foi sob a Cruz de Cristo Jesus
que cruzaste o mundo em todos os cantos
aos infiéis, Portugal trouxe a luz,
por meio de preces, batalhas e cantos.
Ó Pátria Lusitana, terra à beira-mar,
as tuas lágrimas deram gosto ao oceano:
por teu nome lutaram várias pessoas,
das mais jovens ao experiente veterano.
Evandro Rodrigues Monteiro, 25 de junho de 2010.
__________________________________________


O caso é o seguinte: fui dar aula vestindo uma camisa da seleção portuguesa, no mesmo dia em que os portugueses venceram a república "popular" da Coréia pelo modesto placar de 7x0, quando alguns colegas e alunos me interpelaram, sendo que alguns deles vieram com aquela velha cantilena de que "os portugueses invadiram o Brasil em 1500", que eles "escravizaram e mataram os índios", e blá-blá-blá.
Se os índios podem usar cocar, se os negros podem usar aquelas roupas com as cores da bandeira da Etiópia, por que eu, mesmo sendo brasileiro, paulista e filho de cearenses, não posso ter "orgulho" de ter sangue lusitano nas veias?
Não posso ser branco? Vou ter de conviver com "sentimentos de culpa" pelo fato de minha raça ter civilizado este país e uma boa parte do mundo?

2 comentários:

O Reaccionário disse...

Bonitos versos. Parabéns.

Realmente já há algum tempo que tenho vindo a reparar numa certa aversão que os brasileiros (não todos, claro) têm em relação a Portugal. E normalmente essa aversão expressa-se de forma acusatória, como se os portugueses tivessem culpa de todos os males que acontecem no Brasil. Porém, em sentido inverso isso já não se verifica. Isto é, tudo aquilo que o Brasil tem de bom (e acredito que tenha muita coisa) já é responsabilidade dos negros ou dos índios, nunca dos portugueses.
Ora, está claro que esta acusação, além de injusta, é falsa. Porque não só foram os portugueses que fizeram o Brasil (antes de Cabral era Terra Incógnita), como também a grande maioria dos brasileiros são, directa ou indirectamente, descendentes de portugueses. Ou donde é que vocês acham que surgiram os apelidos Sousa, Silva, Monteiro, Miranda, etc.

Sobre esse e outros assuntos, existe no youtube um vídeo muito interessante do Prof. Olavo de Carvalho (outro português):

www.youtube.com/watch?v=BblwapwTcqM

Um abraço lusitano.

Evandro Monteiro disse...

Caro "Reaccionário", obrigado pelo elogio.
Quanto à aversão, isso, infelizmente, é recíproco: muitos portugueses (e não são todos, obviamente) vêem os brasileiros como uma legião de vagabundos e prostitutas a tomar os empregos dos portugueses, além de aumentar os índidces de violência no país.
Infelizmente muitos brasucas vão até aí só para ocupar espaço, fazendo com que os habitantes do lugar fiquem incomodados, o que é o certo, mas não era para ser assim.

No mais, até a próxima e fique com Deus e Nossa Senhora.

Saudações lusófonas.