sexta-feira, 18 de junho de 2010

O cara amargo morreu! Deus o tenha?

Saramago morreu.
Eis que um grande inimigo da Igreja se foi para o outro mundo, um ateu inveterado que, com suas obras, nunca deixou de zombar da fé cristã.
Foi-se um cara amargo, um atormentado pela idéia fixa de negar a Divina existência, um infeliz que encontrou no marxismo a razão de sua vida.
Eis que chegou o grande dia! O Divino Redentor veio buscá-lo pessoalmente em casa, no sossego da maresia das Canárias.
Ora, mas os homens envelhecem, e o cara amargo durou até demais!
“E agora, José?” Como será para a sua alma pobre e amargurada ver face a face Aquele a quem chamaste de “o maior absurdo criado pelo cérebro humano”?
Como terá sido sua vida, nessa luta inglória de querer provar, com uma obsessão doentia, que Deus não existe?
Que vida tormentosa, não é mesmo?
Nem toda a riqueza acumulada com a venda de livros (para pessoas que viam em você, prezado cara amargo, um farol na luta obstinada contra a existência de Deus) te servirá de porcaria nenhuma!
Sequer aproveitaste a velhice para descansar sua boca, exausta de tanto vociferar contra Deus, Jesus Cristo e a Igreja, em nome de idiotas teorias sem fundamento.
Veja o papa, a quem chamaste de “cínico”! Veja a grandeza de alma que esse ancião bávaro possui, grandeza essa que você nunca teve!
Olhe a serenidade do sumo pontífice, mesmo com tantas críticas, tanto ódio, tanta raiva incontida lançada contra ele!
Veja agora onde estás, “camarada”! Veja se poderá viver na eternidade com toda a bajulação que tinhas aqui na terra.
Só sei que as suas rubras e venenosas palavras contra Jesus Cristo não ficarão impunes, restando-lhe tão somente confiar, não naquele “velho barbudo” alemão de raça judaica, mas na misericórdia do Criador.
Sua presença antipática e pedante acabou, chegou ao fim. Foi-se, e vejamos se a foice e o martelo serão suficientes para suplantar o poder da Santa Cruz, contra a qual ferrenhamente combateste.
Deus o tenha? Não sei, prezado poeta vermelho, se devo desejar-lhe isso.

4 comentários:

Leandro disse...

Salve Maria

Evandro, peço permissão para publicar seu texto em meu blog.

Foi o melhor comentário a respeito da morte do "Salamargo" que li.

Pax et bonum

Theophilus disse...

Já foi tarde.
Próximos vermelhos na lista: Niemeyer e Hobsbawn.

Insuspeito disse...

Ámen! Peço permissão para colocar o teu texto também no meu blog!

Um abraço lusitano.

FireHead disse...

O mundo perdeu um traidor da pátria portuguesa, comunista confesso e ateu militante anticatólico. Esse até viveu tempo demais, mas já acabou por deixar este mundo. Respeitá-lo agora que ele morreu? Não, isso seria hipocrisia da minha parte. Estou aqui a ver a cerimónia fúnebre do Saramago que está a decorrer na Câmara Municipal de Lisboa em directo na RTP, com todas as honras do Estado (exceptuando a presença do presidente da República Cavaco Silva, que não compareceu, e acho muito bem, pois não gostava do Saramago) e a escumalha da pior espécie reunida (socialistas e comunistas).
Ainda bem que está a decorrer o Mundial, senão estaríamos a levar com Saramago em grandes doses industriais...

Um abraço.