sábado, 2 de abril de 2011

Brincadeira? Isso pra mim tem outro nome!

Pouca gente fala sobre as perversões sexuais de Maomé (que o castigo do Justo Juiz Jesus Cristo, Rei dos Reis e Senhor dos Senhores recaia sobre ele!) como Zacarias Botros, padre copta citado no blogue In Praelio.

Além das “porquices sexuais” que o servo de Satanás praticava, ele era chegado em ficar agarrando macho por trás, como neste relato extraído de um sítio muçulmano:


“O Profeta não só entretinha seus companheiros com palavras, mas também os divertia brincando. Anas b. Malik disse:

‘Um beduíno chamado Zahir b. Haram dava presentes ao Profeta e ele também lhe dava presentes. O Profeta disse:

‘Zahir é nosso deserto, e nós somos sua cidade’. O Profeta se aproximou, enquanto ele estava vendendo suas mercadorias, abraçou-o por trás, e este não o viu. Logo disse: ‘Solta-me!’ Quando percebeu que era o Profeta quem o estava abraçando, pressionou suas costas contra o peito do Mensageiro!

O Mensageiro de Deus lhe disse: ‘Quem compraria este escravo para mim?’ Zahir disse: ‘Mensageiro de Deus, não valho nada!’

O Mensageiro de Deus então, disse-lhe:

‘Deus não te considera sem valor!’

‘Tu és valioso e precioso para Deus’ (Ibn Hibban, 5790).”

Que coisa mais meiga, não acham? Na minha terra (na zona leste de São Paulo - SP) isso aí não é amizade, isso aí tem outro nome, que por motivo de respeito aos leitores (e não aos infiéis e muito menos ao mensageiro de Satã) não vou escrever.

Por que ninguém tem a coragem de lançar ao menos a possibilidade de que esse beduíno infeliz possa ter sido guey? Por muito menos um imbecil afirmou, sem fundamento algum, que o Senhor Jesus “foi um gay superinteligente”!

Ao ler as Sagradas Escrituras, podemos perceber que o comportamento de Cristo Jesus era de alguém sério: Ele não veio ao mundo por brincadeira e muito menos ficava se agarrando com outros homens.

O Senhor tinha em mente a missão que deveria cumprir, que era levar a salvação e a misericórdia divina aos pecadores, através de Sua morte redentora na Cruz.

É claro que mesmo sendo homem e Deus ao mesmo tempo (verdade negada pelos servos do mensageiro de Satã), o Senhor Jesus sabia aproveitar a vida de forma sábia e moderada, sem falsos moralismos ou hipocrisia, marcas indeléveis da fé islâmica e seu imundo idealizador.

---------------------------------------------------

Fontes das imagens:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/galeria/album/p_paradagay_01.shtml

http://catholic-resources.org/Nadal/129.jpg

2 comentários:

FireHead disse...

O Maomé não era apenas gay... era também mulherengo e pedófilo. É aquilo que nós podemos dizer de "papa-tudo", ou melhor, chave-mestra.

Evandro Monteiro disse...

"Chave-mestra"? AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!