terça-feira, 2 de agosto de 2011

Quando a segurança vale menos que a natureza


Você já ouviu falar da praia de Jericoacoara? Ela é um dos maiores pontos turísticos do estado do Ceará.

Por ser um lugar ainda exótico, e por ser uma área de parque nacional, existe uma regra que diz que, para não alterar a paisagem, a instalação de postes de iluminação é proibida, pois descaracterizaria a paisagem.

Aí quando a noite vem, muitos becos de Jericoacoara são verdadeiras armadilhas, principalmente para as mulheres, pois quem vai se arriscar a andar de noite pelas ruas do lugar?

Quem vai se arriscar a sair de casa depois do anoitecer?

Enquanto isso o povo, em nome da “ecochatice”, fica à mercê da bandidagem (assaltantes, estupradores e traficantes).

Então por causa da falácia da proteção ao meio ambiente, a população que se dane?

Sou professor do anexo da escola estadual e diversas alunas já haviam comentado sobre o perigo de voltar para casa depois das dez da noite. Realmente é muito esquisito.

Diversas vezes ouvi falar que Jeri é a “menina dos olhos” do governador. Pois que ele faça jus a isso, pois quem vai querer conhecer um lugar onde o turista e a população local andam com medo?

Não seria possível ao menos um meio-termo, não teria algum jeito de iluminar as ruas de Jeri de alguma forma?

Vamos colocar a mãe natureza e as dunas de Jericoacoara acima dos turistas (que deixam dinheiro na economia da região) e da população?

Um comentário:

FireHead disse...

Deixa estar, amigo, eu compreendo-te. Por vezes, como precisamente agora, também eu ando com muitas dúvidas, desejando que as coisas pudessem ser doutra maneira, sei lá...
Apenas mais uma fase como tantas outras, talvez. Ou não. Quanto bate, bate com força...
Se não fosse a Aposta de Pascal, talvez pensaria doutra maneira.

Abraço.