domingo, 7 de junho de 2009

Por que ato ecumênico é só no catolicismo?

Uma coisa me chamou muito a atenção: por que todas as vezes em que há encontros e atos ecumênicos, é sempre dentro de alguma igreja católica?
Veja: quem não se lembra, por exemplo, das famosas manifestações ecumênicas na Catedral da Sé, em São Paulo, lideradas por D. Paulo Evaristo Arns e que contavam com o rabino Henry Sobel e o pastor presbiteriano Jaime Wright, contra o regime militar?
Quem não se lembra, por exemplo, dos encontros de oração promovidos em Assis por João Paulo II em 1986?
Quem nunca ouviu falar das aberrações hindus na basílica de Fátima, ou dos horrendos sacrifícios de frangos em Assis?
Hoje (03/06/09) teve um ato ecumênico na catedral de Notre Dame em Paris, em memória das vítimas do acidente aéreo - que Deus as tenha.
Repare que tais reuniões só acontecem sempre numa igreja católica.
Só gostaria de saber uma coisa: alguma vez esses encontros ocorreram numa sinagoga? NÃO! E isso porque o clero modernista adora um rabino - se for sionista é ainda melhor!
Em alguma mesquita? NÃO! - Até porque sempre o clero modernista gosta muito de "dar a outra face" aos infiéis que nos cobrem de tabefes!
Num templo hindu? NÃO! - Sem a mínima chance, estamos na temporada de caça ao cristão na Índia, já virou mania nacional.
Num mosteiro budista? NÃO! Claro, muita gente pode atrapalhar a meditação dos monges.
Num templo "evangélico"? NÃO, NÃO e NÃO! Essa gente não quer "idólatras", "mariólatras" e "papistas" pondo os pés na casa de "Deus". Obviamente mudarão de opinião se o católico resolver deixar a "ICAR", aceitar "Jesus" como seu personal saviour e se tornar mais um dizimista fiel, um Gedeão que desafia a Deus e conquista bênçãos materiais.
Portanto, se um dia essas reuniõezinhas mequetrefes ocorrerem em lugares que não sejam numa igreja católica e me convidarem, eu não irei.
Mesmo se fosse...
Numa mesquita: não pretendo pôr meus pés numa mesquita, pois quero mantê-los limpos - é porque só se pode entrar lá sem calçado, e eu não gosto de andar descalço, já que quando ando assim, sujo meus pés.
Numa sinagoga: não pretendo pôr meus pés numa sinagoga, já que do ponto de vista cristão, o judaísmo está defasado: ainda espera o Messias, sendo que Ele já veio, na pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Num templo dito "evangélico": não pretendo pôr meus pés numa igrejola, pois tenho meus ouvidos em muito grande conta - ruídos acima de 80 ou 100 decibéis fazem mal à audição.
Num templo hare krishna, hindu ou afins: não pretendo pôr meus pés num lugar como esse, pois tenho meu belo nariz em muito grande conta, e aquele incenso fedorento me deixa tonto.
Centros espíritas ou terreiros de macumba: não vou porque não quero receber passes. Passes, só se for de ônibus, trem ou metrô.
Ah sim, se porventura acontecer um ato ecumênico numa igreja católica e me convidarem, tampouco irei, porque não quero ver infiéis, pagãos, hereges e padres/bispos apóstatas infestando a casa de Deus.

13 comentários:

Ana Maria Nunes disse...

Evandro, um conselho, feche o blogue para comentários moderados, já há muitas postagens, se postarem em determinado texto como vc faz para saber?
Estando fechado fica fácil de ver e meter o pé, digoooooooo, responder!

abraço

Evandro Monteiro disse...

Ana, cometi a imprudência de errar a igreja onde aconteceram os sacrifícios de frangos: não foi em Fátima, foi em Assis, na igreja de Santa Clara, com uma forcinha bem forçada dos modernistas disfarçados de franciscanos.
A informação dos frangos é esta aqui:

O escritor assegurou hoje à imprensa local que, no dia 27 de Outubro de 1986, durante o primeiro encontro de líderes religiosos na cidade de São Francisco, os franciscanos "forçaram a mão" e permitiram aos animistas africanos sacrificar frangos no altar da Igreja de Santa Clara, e permitiram aos peles vermelhas americanos dançar no templo.

http://www.montfort.org.br/index.php?secao=imprensa&subsecao=igreja&artigo=20051121&lang=bra


Errei a igreja, por isso que eu corrigi o texto e apaguei o seu comentário, que acabou ficando sem sentido.

Evandro Monteiro disse...

Ah sim, Ana, obrigado por suas palavras e elogios ao blogue.
Quanto ao seu conselho, vou fazer do jeito que você recomendou.
Deus te pague!

Theophilus disse...

Houve uma profanação em Fátima anos atrás:

http://www.montfort.org.br/index.php?secao=veritas&subsecao=igreja&artigo=santuario_fatima2&lang=bra

Hugo F. disse...

Porque Cristo foi ecumênico, simples...

Ana Maria Nunes disse...

Hugo, explique pq simples, por favor!


Aaah explique tb o pq se ensinava na Igreja para se manter longe de hereges e agora n.
Obrigada.

Ana Maria Nunes disse...

A tá, entendi, depois eu leio oos textos.

Evandro Monteiro disse...

Hugo, Cristo não foi ecumênico!
Se fosse assim, Ele jamais teria mandado os Apóstolos batizarem "em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo".
E outra: lembra daquela passagem do Apocalipse, que o Senhor diz que ou se é quente ou frio, porque morno Ele vomita?
Então, Ele não foi nada ecumênico.

Hugo F. disse...

Como se batiza sem aproximação, sem ecumenismo???
Tem jeito???

Dii disse...

Aqui mesmo no Brasil, nessas "reuniões" pelas vítimas do vôo 447...

Na Igreja Católica, convidam todos...

Mas passou numa igreja evangélica um culto, e não era nada aberto pra ninguém...

Vai entender...

Ana Maria Nunes disse...

Como se batiza sem aproximação, sem ecumenismo???
Tem jeito???(sic)

Tem. Pq quem converte é o Espírito Santo.
Ecumenismo é trazer de volta os desgarrados. Já a ecumania, é esse papo de mundo cor de rosa, paz e amor bicho.

Favor ler:

Ecumenismo:
http://www.vatican.va/holy_father/pius_xi/encyclicals/documents/hf_p-xi_enc_19280106_mortalium-animos_po.html

Sacramentos:
http://www.capela.org.br/indicecateci.htm


Salve Maria Santíssima!!

Hugo F. disse...

Ana, vc deve estar confudindo o q aconteceu, q foi um culto ecumenico, com Missa ecumenica, que não existe, mas que alguns jornais erroneamente publicaram, como Missa. Com o culto ecumenico, não tem como ter profanação da Eucaristia, o q aconteceu foi um culto ecumênico, e o Corpo do Nosso Senhor, nossa maior riqueza, estava muito bem guardado.
E li a carta encíclica e, me desculpe, mas não vi ninguém dos católicos presentes, desabonar alguma orientação da carta do Papa Pio XI, principalmente, o bispo auxiliar da Arquidiocese do Rio, Dom Antonio Augusto Dias Duarte..
Um abraço.
Fica c Deus.

Evandro Monteiro disse...

O que é questionado aqui é justamente o fato de sempre serem numa igreja católica.
Serei o primeiro a me calar no dia em que ver UMA (eu disse só UMA!!!!) reunião ecumênica, ato ecumênico, culto ecumênico ou o raio que o parta, num templo hindu, numa sinagoga, numa mesquita, num terreiro de macumba e por aí vai...