terça-feira, 24 de março de 2009

“Não basta ser católico, tem que participar”

Existem certas coisas bem esquisitas: nunca vi, nos Evangelhos ou nas Cartas Apostólicas, que para ser cristão devemos participar de alguma pastoral.
Esse famigerado fruto pós-conciliar dá mais valor à quantidade do que à qualidade.
Esse balaio de gatos abrange pastorais dos mais diversos naipes, como estas abaixo:
Pastoral dos Casais em Segunda União
Pastoral do Turismo
Pastoral de DST/AIDS
E muitas outras mais, sem nos esquecermos da materialista Pastoral da Criança, que ensina o povão e a criançada a encherem o bucho dignamente, e a Pastoral da Terra, amiga dos terroristas invasores da propriedade alheia. São palavras da dita cuja:

“A CPT, convocada pela memória subversiva do Evangelho (sic), e buscando ser fiel ao Deus dos pobres, à terra de Deus e aos pobres da terra, ouvindo o clamor que vem dos campos e florestas, quer ser presença solidária, profética, ecumênica, fraternas e afetiva junto aos trabalhadores e trabalhadoras da terra e das águas, para que os mesmos assumam o protagonismo de suas lutas e de sua história.”

Para que sejamos “católicos” de verdade, devemos nos ENGAJAR em alguma pastoral, a do Dízimo, de preferência.
Católico que não participa de pastoral alguma não é católico! Não adianta só ir à Santa Missa, isso já não é suficiente: tem que participar, tem que mostrar serviço, se possível, até como MESC – ministra(o) extraordinária(o) da Sagrada Comunhão.
Isso particularmente me incomoda, pois muitas pessoas querem se aparecer, querem dizer que se engajam, mas não passam de pobres coitadas que gostam de fazer fuxico da vida alheia, fofocar sobre fulano(a) de tal e viver debaixo da barra da batina dos padres, que muitas vezes não passam de grandes preguiçosos que se escoram nessas(es) MESC’s para não precisar distribuir a Comunhão.
A dita “igreja dos pobres” é bem pobre mesmo: pobre de conteúdo, vazia de espiritualidade, inchada de panfletagem vermelha ou irracionalidade carismática.
Rezemos pelo Santo Padre o Papa Bento XVI, para que, ainda que vacilante, conduza a Santa Igreja no caminho certo, do qual jamais deveria ter saído!

3 comentários:

Ana Maria Nunes disse...

Concordo com vc.

Discordo do ainda que "vascilante"(sic) o Papa; pq vejo que n é vacilo, é um ato de tentar contornar por caridade essa crise e evitar o tal cisma. Pra lá de evidente.

Penso que ao retornar ao Vaticano, ele terá que tomar algumas decisões, d. rino n pode ficar impune!


Rezemos pelo Papa , pela Igreja!

Ana Maria Nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Maria Nunes disse...

Evandro, vc esqueçeu a pastoral homossexual e a aula de camisinha na cnbb ahuahuahau pareçe que somos loucos falando nisso, mas é verdade.( verdade a tal pastoral e a aula de camisinha, n que somos loucos ahuahuahua)

Depois que fui insultada de sedevacantista pq disse que a cnbb é comunista e veio a tona os numerosos "catolicos fiéis ao Papa e abortista"( como se isso fosse possível), só posso dizer a nós Católicos decentes:


BOM MARTÍRIO!

Rosário e Eucaristia SEMPRE!!!