sexta-feira, 3 de julho de 2009

A estorinha da "nêga maluca"

Nestes tempos de idiotização e emburrecimento politicamente corretos, mais a vitimização de certos setores da sociedade tupiniquim, não é demais ler a seguinte estorinha, que simboliza bem o modernismo cultural:
O Seu Manuel, dono de uma padaria, foi intimado pelo delegado de Policia. Lá chegando, perguntou ao Dr. delegado:
- Qual é o problema, doutor?
- O senhor vai ser enquadrado na Lei do Racismo.
- Mas doutor, que fiz para tal punição? Sou comerciante há mais de 40 anos, pago todos os impostos, ajudo as igrejas e a comunidade do bairro. O que está errado?
O delegado muito sem jeito responde:
- Seu Manuel, é que houve uma denúncia: o senhor está vendendo um doce cujo nome é depreciativo à raça negra.
- Mas doutor, não faço isto de jeito algum.
- Segundo a denúncia faz sim. O senhor não vende um doce chamado "NÊGA MALUCA"?
-Mas doutor, esse doce é vendido há mais de 50 anos com este nome, é uma tradição.
- Pois é, Seu Manuel, ou muda o nome do doce ou será enquadrado na Lei de Racismo.
- E que nome devo dar ao doce??
- Que tal "AFRO-DESCENDENTE COM PROBLEMAS MENTAIS"? Assim não estará enquadrado na lei.

3 comentários:

Ana Maria Nunes disse...

Realidade!

Evandro Monteiro disse...

Que tempo chato.

Hugo F. disse...

kkkkkkkkkkkkkkk...

Hoje qq um pode abrir a boca e falar a asneira que quer, ministros abortistas, denfensores da liberação das drogas,parada gay, etc...

Mas qdo alguém, considerado "conservador", a exemplo da Igreja, através do Papa, Bispos, até mesmo, esse "seu Manoel", com mais de 40 anos de comércio, se pronuciam, todos caem de "pau". Já está qse na hora da igreja pedir os mesmos direitos "iguais", q esses doídos, tem de se pronunciarem.

Tá difícil mesmo...
Abraço...
Fik na paz...