sábado, 23 de julho de 2011

O triste fim da judia da Casa de Vinhos

Pois é... Aquela judia inglesa doidona morreu...
Claro, depois de tanto abusar das drogas...
E ainda tem gente aqui no Brasil que defende a legalização das drogas, sob o argumento de que o álcool e o cigarro também o são.
Mas um mal jamais pode justificar outro mal!

Sabe-se lá quais teriam sido as motivações para essa jovem bem nascida se valer de tanta porcaria química, só restando única e tão somente a piedade divina para essa moça que, apesar da fama, parece que não teve uma vida assim tão feliz...
Ou será que aquele que consome drogas (seja álcool, cigarro [industrializado ou "natural"], cocaína, etc.) é, realmente, uma pessoa feliz?

2 comentários:

Ana Maria Nunes disse...

Ela tinha uma voz linda!

Evandro Monteiro disse...

Não é nem porque ela morreu, pois nunca fui lá muito fã da Amy, mas se fosse pra eu escolher entre ela e a Lady Gagá, sou mais a Amy.