sexta-feira, 1 de julho de 2011

Taí, "Pirata", publiquei...

Um auto-intitulado “pirata” lá de Goiás tomou as dores dos muçulmanos e resolveu defendê-los, ao ter lido um texto deste blogue, sobre a “tolerância islâmica” . Taí, o comentário do cara foi publicado:

“Olá, gente boa de Cristo. Tem nega dizendo que nunca ouviu falar de extremistas cristãos. Falta de observação: são conhecidíssimos a inquisição católica e o puratanismo norte-americano. Bem, alguns muçulmanos são radicais, e seja certo ou errado comentem atos com objetivo. Já aqueles moleques que atearam fogo num índio pataxó eram católicos não-praticantes, os que espancaram uma empregada doméstica sob acusação de prostituição também, e aqueles que espancaram um playboy até a morte por terem tido a impressão de que olhou pra namorada de um deles. Todos de boas famílias católicas, e cometeram atrocidades por simples vandalismo. E do lado dos protestantes, quantos estão na política oprimindo e roubando o povo, e até nas igrejas? O Alcorão, andei lendo uns trechos, manda respeitar e acreditar na Torá e na Bíblia, discutindo com serenidade, só usando de agressão no caso de ser agredido primeiro, que ninguém é bobo. Parece que algumas das pessoas que comentaram não são muito ligadas em estudar. Mas deem uma olhadinha na história e confirmem há quanto tempo o judaísmo e o cristianismo vêm oprimindo os muçulmanos, principalmente pra controlar sua matéria de economia. Os senhores têm fé e espírito, deveriam procurar desenvolvê-los, inclusive tomando o exemplo dos muçulmanos de linha humilde. Eu os desafio a começar pela coragem de aprovar este comentário, ou são adeptos das censuras do catolicismo?”

Quanto às palavras apologéticas do “pirata” pró-islâmico, só tenho alguns questionamentos a fazer:
1º => Quem foi que disse que todos aqueles retardados que mataram o índio eram católicos? O próprio pirata diz que se tratava de “católicos não-praticantes”.
2º => Se fossem católicos ou não, eles assassinaram o índio por motivações religiosas? O próprio pirata afirma que foi por vandalismo.
3º => Nos outros casos, onde foi citada uma trabalhadora e um “playboy”, a motivação foi religiosa? Foi seguindo as orientações da Igreja Católica que aqueles energúmenos fizeram aquilo?
4º => Quantos aos políticos protestantes, isso não posso opinar porque sou católico. Da forma como o texto está escrito, tem-se a impressão de que nos países muçulmanos, a classe política é justa e honesta, tanto é que o pessoal da Tunísia, Egito, Iêmen e similares foi às ruas para puxar o saco dos governos de lá, não é mesmo?
5º => Ainda que o livreco sagrado dos maometanos mande respeitar os “povos do Livro” (judeus e cristãos), isso porventura impediu, alguma vez na História, que tais povos fossem caçados e trucidados pelos cães raivosos a serviço do “profeta”?
6º => O pirata recomendou àqueles que ousaram criticar a “tolerância” maometana, que desenvolvessem a fé e o espírito. Manda até que tomemos o exemplo dos “muçulmanos de linha humilde”. Bom, quanto a isso, recomendo ao pirata e a qualquer um que ainda pense que o Islã é tolerante, que leiam com freqüência blogues como o In Praelio, A verdadeira Idade das Trevas ou o De olho na Jihad.
7º => O pirata citou os puritanos e, para não deixar passar em branco, a SANTA INQUISIÇÃO. Agora compare as mortes que os puritanos protestantes e os inquisidores causaram com o número de mortos pela farsa chamada ISLAMISMO! E não precisa retroceder até 600 d.C. não, podemos recuar no tempo até o século XIII (Era de Duzentos), quando a Inquisição foi criada. Vai ver a enorme diferença existente nos números.
8º => Ao acusar o sistema judaico-cristão, o pirata comete uma grande injustiça, pois foi esse sistema que tirou pessoas de condições deploráveis, ou será que o Islã teria salvrdo, por exemplo, aqueles povos oprimidos pelos rituais pagãos dos astecas?
Quem livrou muitos outros povos do canibalismo no tempo do Brasil Colônia?
Quem mutila sexualmente as mulheres atualmente? O cristianismo?
Quem reintroduziu a escravidão na Europa no começo da Idade Média? O cristianismo?
Ou foram os portugueses ainda cristãos que inventaram a escravização de africanos?
Ou foram os países cristãos os últimos a abolirem a escravidão?
Ou são alguns povos cristãos que impedem as mulheres de fazerem coisas triviais como dirigir um carro ou estudar?
Ou é o cristianismo que oprime a mulher?
Ou é o cristianismo que incentiva o casamento de marmanjos barbados com meninas de dez, nove, oito anos ou até menos? E se vier com papo de padres pedófilos, proporcionalmente, os tarados que compõem o clero não chegam a 1% do total.

4 comentários:

Jefferson disse...

Evandro,

Existe algo que poucos sabem. Existiu uma inquisição muçulmana séculos antes de surgir a católica.

Estou quase concluindo minha pesquisa e logo publicarei esse achado arqueológico!

Evandro Monteiro disse...

Publique.
E creio que a Santa Inquisição tinha uma orientação completamente diferente da dos cães raivosos.

Theophilus disse...

Evandro,
Sobre a questão dos Povos do Livro (judeus e cristãos) o respeito que o Islã devota a eles é somente na medida em que eles acreditam que o Islã fora profetizado na Bíblia, pelos profetas do Antigo Testamento e por Jesus Cristo; esses cristãos e judeus seriam proto-islâmicos que reconheceram ser idêntica a pregação de Moisés e Jesus e a de Maomé. Os que acertadamente rejeitavam essa idéia eram considerados infiéis e portanto tratados com todo o rigor da lei. Isso o pirata esqueceu de dizer.

Jefferson disse...

Evandro,

A inquisição islâmica chama-se Mihna. No entanto, pelo menos na internet, não existe nada mais que menções feitas pelos próprios muçulmanos, onde é claro, eles não falam sobre as mortes ocorridas. Estou tentanto achar livros que trate do assunto e aguardando a resposta de um amigo que fala árabe. Acredito que nas páginas em árabe seja mais fácil.

Mas, é claro que foi diferente da Inquisição Católica, o único tribunal da história que tinha por objetivo perdoar o réu e não condená-lo.